Menú

El Periódico Extremadura | Sexta-Feira, 24 de janeiro de 2020

{Paltrow} leva-se suas raridades a {Netflix}

Em ‘The {Goop} {Lab}’ falará de saúde mental, física e sexual

MIREYA ROCA
13/01/2020

 

Apesar de ser branco de críticas por seus absurdos e às vezes até perigosos conselhos sobre/em relação a modos de vida, dietética e sexo, {Gwyneth} {Paltrow} (Los Ángeles, 1972) debutará o próximo 24 de Janeiro em The {Goop} {Lab}, um documentário {reality} para {Netflix}. Desta forma, a protagonista de {Avengers} {Endgame} levará o conteúdo de seu site de estilo {Goop} à plataforma de {streaming}.

Segundo aponta {Variety}, {Paltrow} e {Elise} {Loehnen}, a diretora de conteúdo de {Goop}, quem no primeiro programa já confessa que experimentou «um {exorcismo}», gravaram faz um mês uma série de seis capítulos de 30 minutos de duração, nos que falam de saúde mental, física e sexual. A princípios desta semana, {Loehnen} declarou ao citado portal de notícias que «{Gwyneth} está muito centrada em que tudo saia à perfeição e em que conetemos com o público».

Como era de esperar, o espaço televisivo começou com mau pé, pois o cartaz promocional já fez correr rios de tinta. A vencedora de um Oscar por {Shakespeare} {in} {love} aparece acompanhada de figuras {ovaladas} cor-de-rosa, com tons mais claros nos bordas que vão obscurecendo até o centro. Umas silhuetas que simulam vaginas e que vão acompanhadas do slogan: «Alcançar novas profundidades».

Tudo faz sentido se tivermos em conta que um dos primeiros programas que tratam-se em The {Goop} {Lab} é a sexualidade feminina e o prazer sexual, mas muitos usuários de Twitter não duvidaram em mostrar seu {desagrado}. «¿A sério se cancelam fantasiosas séries para dar espetáculo perigoso para a saúde pública?», «Não sabia que {Netflix} apoiaria a pseudociência» e «¿Verdadeiramente se utilizou o dinheiro de minha assinatura para isto?» são alguns dos mais suaves comentários que se podem ler contra da plataforma digital.

EM SEU CONTRA / O vídeo de apresentação de The {Goop} {Lab} também conseguiu pôr a grande parte do público potencial contra. Nele, {Paltrow} pergunta: «Estamos aqui uma vez, uma vida. ¿Como podemos realmente tirar o máximo proveito disto?». A cura através da energia, as terapias pouco/bocado convencionais e entrevistas a «profissionais da saúde alternativos» são alguns dos contidos. «O que {intentamos} fazer em {Goop} é explorar ideias que podem parecer estranhas», argumenta {Loehnen} no avanço enquanto nas fotos aparece com a atriz meditando com o rosto coberto de agulhas de {acupuntura}.

De facto, a empresa da atriz teve que pagar faz uns meses 125.000 euros de multa por vender uns ovos vaginais. Foi condenada pelo que se considerou «publicidade enganosa» porque asseguravam que esses objetos permitiam melhorar o controlo da bexiga e regular/orientar a menstruação; mas nunca se provaram seus benefícios saudáveis.

A ex-mulher de {Chris} {Martin}, não só/sozinho foi notícia por seu estreia televisivo, mas porque assegurou que se retira do mundo da interpretação. Numa entrevista para {Harper}’s {Bazaar} lhe perguntam se acredita que nalgum momento lhe voltará a picar o vontade do cinema. {Paltrow} não o dúvida: «Literalmente nunca, nunca. Quando estava atuando me {agoté} a mim mesma até à extenuação». No entanto, sim gosta de aparecer nas entregas de prémios. A última na recente entrega dos Balões de Orellana / Orelhana (na foto).

As notícias mais...