Menú

El Periódico Extremadura | Sábado, 23 de septembro de 2017

Machista e meio

3Juan e Meio cortou ao vivo a saia de sua companheira enquanto ela suplicava que parasse

JULIA CAMACHO epextremadura@elperiodico.com SEVILLA
14/09/2017

 

Uma brincadeira «sem cabida numa televisão pública». Assim de taxativo se expressa o governo andaluz em relação ao incidente protagonizado na passada semana pelo apresentador Juan e Meio no programa A tarde, aqui e agora, da televisão autonómica andaluza. De nada têm servido as desculpas solicitadas pela cadeia e a produtora do espaço; e diante da polémica criada, o Conselho Audiovisual Andaluz –encarregado de velar pelo conteúdo respeitoso dos programas de televisão e rádio da região—acordou ontem abrir processo após as queixas do Instituto/liceu Andaluz da Mulher ({IAM}), sindicatos, grupos políticos e particulares, assegurando que serão «cautelosos» mas «contundentes».

A cena, qualificada por muitos de vergonhosa, correu como a pólvora pelas redes sociais.

Num momento do programa, a apresentadora Eva Ruiz apareceu com umas calças do apresentador na mão e lhes cortou um pedaço. Juan e Meio pegou uma tesoura e pôs-se a recortar o vestido de sua companheira , entre risos primeiro e embaraço depois, que lhe pedia sem êxito que parasse. Tudo termina quando uma regedora entra em plano para tapar à mulher e, colagem/colada a ela, a acompanha até uma esquina do platô.

Após um fim-de-semana na qual a notícia tornou-se em tema de conversa, especialmente desde que a líder de Podemos em Andaluzia, Teresa Rodríguez, se perguntasse nas redes sociais acerca de se os meninos que vissem o {sketch} da cadeia pública «acreditariam que é divertido {hacerselo} a outras meninas», toda a gente esperava uma desculpa pública.

DESCULPAS EM ECRÃ / O apresentador dedicou os primeiros minutos a celebrar os dados de audiência, e só/sozinho depois de uns minutos se decidiu a concluir o tema com um «Noutro dia Eva e eu tivemos um jogo que tem incomodado a algumas pessoas, pedimos desculpas e as {reiteramos}». «Nada do que fazemos aqui leva intenção de incomodar», prosseguiu, «¿Vocês se divertem? ¿E em casa? Pois disso trata-se». Mais tarde sublinharia um desafiante «{ladran}, logo {cabalgamos}». Por seu lado, Eva Ruiz tratou também de retirar ferro ao tema insistindo em que tratou-se duma brincadeira e que em nenhum momento se sentiu vexada.

DIREITOS DA MULHER / Desde o {IAM} consideram que a «brincadeira desafortunada», segundo a definiu o porta-voz do executivo regional, poderia vulnerar o princípio de igualdade de género bem como os direitos da {copresentadora} vítima da brincadeira e os dos espectadores do programa. Daí que enviassem um escrito/documento diretamente aos responsáveis do Conselho Audiovisual. De seguir/continuar adiante, o processo poderia finalizar com uma admoestação ou, de considerar-se muito grave, uma sanção económica de até 120.000 euros.

Detrás do programa A tarde, habitual nos {shows} de {zapeo} por sua secção de busca de casais para pessoas maiores/ancianidade, encontra-se {Indaloymedia} {SA}, a produtora criada em 2009 pelo próprio apresentador {almeriense} e que se tornou numa das principais empreiteiros de Canal Sur, dado que também se encarrega de outros dois espaços, Eu sou do sul e Miúda noite, protagonizado por meninos. Segundo os dados da própria Rádio e Televisão de Andaluzia ({RTVA}), só/sozinho nos primeiros oito meses de 2016 recebeu quase três milhões de euros. Centrados em atrair a um público rural e sem pretensões intelectuais, estes programas ajudam a manter a média de audiência da cadeia, situada no 8% de quota.

No passado outono Juan e Meio chegou a {simultanear} espaços em TVE e Antena 3. Seu Poder/conseguir {canijo}, onde procuravam aos professores mais inovadores do país, apenas durou duas semanas no horário previsto, a tarde dominical, e seu 5% de audiência lhe relegou à faixa matinal da primeira cadeia estatal. Por seu lado, o espaço O amor está no ar só/sozinho durou quatro emissões.

As notícias mais...