Menú

El Periódico Extremadura | Domingo, 20 de outubro de 2019

«Gostaria perder 50 quilos, já me daria por satisfeita»

REDACCIÓN epextremadura@elperiodico.com MADRID
13/08/2019

 

O síndrome de {ovario} {poliquístico} mudou a vida de {Whitney} {Way} {Thore}. A doença provocou que, em só/sozinho uns meses, seu peso aumentasse de maneira radical até superar os 170 quilos. Mas quando subiu a {YouTube} um vídeo realizando a coreografia A {fat} {girl} dancing e tornou-se em viral (superou vários milhões de visualizações), decidiu mostrar ao mundo o que é capaz de fazer independentemente de seus quilos. Um afã de superação que mostra em Grande-deusa, {docu}-{reality} que regressa hoje a {DKiss} (21.45 horas).

–Você não se esconde nem tampa/petisco seu corpo.

–Não sou uma pessoa vergonhosa, mas foi um verdadeiro desafio viver em meu corpo e inclusivamente olhar-me despe, algo que não podia suportar nem de menina. Mas agora não me preocupa, e acredito/acho que é um grande conquista. O que passa com as pessoas gordas é que são diferentes ao resto, que dalguma maneira se dice-nos que temos que esconder-nos, minimizar-nos, e eu não o partilho. Tenho direito a fazer o que queira, viver como queira e assim é como me o {planteo} a cada manhã quando me {levanto}.

–O problema se calhar é ter que enfrentar-se a pessoas muito cruel, especialmente na internet e na {sredes} sociais.

–Sou realmente afortunada já que o 99% do que me chega é positivo. Pelo menos uma vez à semana me {emociono} tanto/golo que choro pelos mensagens {abrumadoramente} positivos que recibo. Claro que há coisas negações, mas para isso devo procurá-las, por isso não o faço. Há pessoas às que parece que gostam de odiar, e parece que as pessoas gordas e o ódio se relacionam… Nunca me poria em contacto com estas pessoas. Não é meu trabalho convencer a ninguém de que me queira porque eu me quero a mim mesma.

–¿Quantos anos tinha quando começou a aumentar de peso?

–Tinha 18 anos, era meu primeiro ano de universidade. Quando {llegué} pesava uns 59 quilos e terminei ganhando quase 50 quilos mais em oito meses. Foi muito impactante e mudou minha vida drasticamente da noite à amanhã. Mas o curioso é que em meu ambiente ninguém o comentava. Acredito/acho que involuntariamente reagiram com essa vergonha, esse estigma social que marca ao gordo, e especialmente à mulher gorda. Já antes de engordar, quando ainda estava magra, já sofria transtornos alimentares, pelo que quando {engordé} me disse que não valia nada esforçar-se, e me {convencí} de que era preguiçosa. Tinha interiorizado a vergonha sobre/em relação a meu corpo.

–¿Notou uma mudança em sua relação com as suas amigas?

–Eram raparigas divertidas, mas quando {comencé} a aumentar de peso, começaram a comentar que que nunca poderia ter namorado e quase me compadeceram, tal como me falaram. Me senti muito humilhada, porque eu tinha sido a reina do dança na festa de regulação, tinha sido muito popular no instituto/liceu e não podia suportar que ninguém me {menospreciara} ou se {compadeciera} de mim… Tinha a sensação de que meus amigos e minha família se envergonhavam de mim.

–Mas conseguiu que mudassem sua atitude.

–Sim, mas não sempre foi fácil. Fazer que meus pais entendessem meu ponto de vista e como me sentia , especialmente meu pai, foi difícil. Com respeito e amor se pode conseguir tudo, da mesma maneira que se pensamos negativamente em nós mesmos e nos {humillamos}, vamos diretos ao desastre. O problema é que, dalguma maneira, estamos doutrinados desde meninos em associar gordo com ser algo muito negativo. Por isso, tenho a sensação de que sempre estou lutando contra este preconceito.

–¿Como se sente atualmente com seu corpo?

–Sei que é muito difícil que alguém o cria/acredite, mas {amo} meu corpo, estou muito orgulhosa dele, passou por muitas coisas e sei que é capaz de muito mais. E também me parece bastante bonito. Não tenho medo de como se vê meu corpo nu, o qual é um grande avanço para mim. O único que me preocupa é que tenho engordado um pouco/bocado, e se continuo/sigo assim, por exemplo, me será difícil atar-me os sapatos. Por isso quero perder peso e, de passagem, evitar ter problemas de saúde no futuro. Só/sozinho isso, já que não tenho nenhum plano ou sono/sonho de voltar a estar magra… Gostaria perder uns 50 quilos. Com isso já estarei satisfeita.

As notícias mais...