Menú

El Periódico Extremadura | Sexta-Feira, 20 de septembro de 2019

Adiós a Eduardo Gómez

El popular ator cómico falece em Madrid por causa de um cancro que levava em segredo

REDACCIÓN epextremadura@elperiodico.com MADRID
29/07/2019

 

Luto no mundo da telecomédia. El ator cómico Eduardo Gómez (Madrid, 1951), conhecido pelas séries A que se {avecina}, ou Aqui não há quem viva, faleceu ontem em Madrid aos 68 anos. «Se nos tem ido este ser maravilhoso, {metrosexual}, {pensador} e mente fria. Boa viagem, {Edu}, e graças por tantos anos de risos e de bom rolo. {Eres} história da comédia. Adiós, leão», escreveu em sua conta de Twitter Alberto Caballero, autor destas séries,

A câmara ardente do ator se instalou ontem no sala mortuária madrileno da {M-30}, e seus restos mortais serão velados ali até hoje ao meio-dia.

No sala mortuária, seu filho, {Héctor} Gómez, expressou sua admiração pela «fortaleza» de o seu pai, que lutou «como bom gladiador» contra o cancro, uma doença que levava «com a máxima discrição possível».

«Lutou até ao fim», afirmou {Héctor}, quem explicou que só/sozinho no fim a família fez pública a causa do falecimento, um cancro, porque quis levar esta doença de maneira discreta, para «não preocupar à pessoas».

A morte de Gómez tem provocado uma avalancha de reações nas redes sociais. Fernando Tejero se tem despedido de o seu pai Mariano na ficção em Aqui não há quem viva: «Eduardo colega, me {dejas} sem palavras, ainda sem dar crédito, mas me {dejas} também com lembranças maravilhosas de muitos risos e muito carinho. Boa viagem colega».

Santiago Segura lhe tem definido como «um tipo divertido, {peculiar}, simples e humano». El diretor {Álex} da Igreja recordou uma frase que lhe dizia Gómez: «El humor não tem nem puta graça». «Penso em ti e posso dizer que não é certo. É a vida a que não tem graça. O único no que acredito/acho e {confío}, é, precisamente, o humor, os momentos nos que nos {divertimos} juntos, e fui feliz a teu lado». «Nestes quase 20 anos que passaram desde que nos conhecemos, sempre me {has} facto/feito rir. Até hoje, que me fazes chorar», tem escrito/documento a atriz Lida São José.

SEUS INÍCIOS / Gómez começou sua corrida/curso nos 90 com pequenos papéis em séries e como figurante em filmes, trabalhos que conciliava como vendedor ou dependente, até que seu papel em Aqui não há quem viva lhe deu o reconhecimento definitivo.

Seu personagem Mariano lhe valeu em 2005 o Prémio da União de Atores ao Melhor Secundário em TV. Trabalhou durante dez anos em A que se {avecina} e participou em pequenos papéis em filmes como em A grande aventura de Mortadelo y Filemón e em Torrente 3.

Entre seus últimos trabalhos figura a série {Gym} Tony. Gómez popularizou uma série de frases de seus personagens que seus fãs recordaram nas redes, como «Sou Mariano Delgado, {metrosexual} e {pensador}».

As notícias mais...