Menú

El Periódico Extremadura | Sexta-Feira, 20 de septembro de 2019

‘As raparigas do cabo’ entram em política na quarta época

MARISA DE DIOS MADRID
09/08/2019

 

Os tempos mudam, mas a amizade de As raparigas do cabo continua a ser indestrutível. E a prova de bombas, como ficou constância no explosivo final da terceira época da que foi a primeira novela espanhola de {Netflix}, que hoje regressa com novos episódios e internando-se no primeiro ano da Segunda República.

{Ambientada} em setembro de 1931, a quarta época começa com as raparigas explorando novos territórios profissionais, sobretudo {Carlota} (Ana Fernández), agora que o exílio forçado do Rei e a instauração de um novo sistema político em Espanha auguram a ansiada igualdade de género.

Animada por {Óscar} (Ana Polvorosa), a antiga Sara, a jovem se apresenta como candidata à presidência da câmara municipal de Madrid. Suas ideias liberais lhe {granjean} muitos apoios, mas seu rival está disposto a utilizar/empregar a relação lésbica de {Carlota} a favor de seus interesses.

Entre as contratações, destacam Carles Francino e Adolfo Fernández, embora esta quarta etapa será recordada, sobretudo, pelo adeus duma das protagonistas, {Maggie} {Civantos}, que não aparecerá na quinta época, que já se tem filmado.

As notícias mais...