Menú

El Periódico Extremadura | Domingo, 29 de março de 2020

Carecas contra o estigma

Uma terapia pioneira trata de ajudar a aqueles que sofrem a incurável {alopecia} {areata} H O cabelo pode voltar a crescer, mas também cair uma e outra vez

P. M.
22/04/2019

 

Não todas as mulheres carecas têm padecido um cancro. Nem todas as que levam peruca foram tratadas com quimioterapia. Existe uma patologia, a {alopecia} {areata}, que faz com que algumas pessoas, mesmo na infância, percam de repente tudo o cabelo de seu corpo e sintam/sentam, com isso, que «se lhes apaga a face», «sua identidade» e que a doença não lhes matará, não, mas lhes mudará suas vidas para sempre. Hoje não tem cura e ainda que com tratamentos, alguns muito agressivos, o cabelo pode voltar a crescer, também se pode perder uma e outra vez.

Esta doença afeta a 2% da população e sua incidência vai em aumento. Tornou-se já na segunda causa de consulta médica mais frequente sobre/em relação a problemas capilares, segundo o médico Sergio Vañó, dermatologista do Hospital Ramón e {Cajal} e um dos impulsores duma pioneira terapia em grupo, que se desenvolve no centro sanitário madrileno e está destinada a ajudar psicocomo é lógico às pessoas afetadas.

Como um «monstro»

Porque, sobretudo para mulheres que perdem todo o seu cabelo, o não encaixar nos cânones de beleza lhes provoca ansiedade, depressão, insónia, alterações na autoestima ou comportamentos obsessivos como olhar-se continuamente no espelho e contar os cabelos que nascem ou perdem. A doença lhes afeta a nível laboral, porque não encontram trabalho ou bem as estigmatizam, e também pessoalmente, dado que muitas estendem a encerrar-se em casa, ao sentir-se como «monstros». Algumas, mesmo, planeiam ou chegam ao suicídio, daí a necessidade de um abordagem psicológica.

Até ao momento participaram na terapia 12 mulheres e o abordagem em grupo, dirigido pela psicóloga clínica Patricia Fernández, tem conseguido que, num ano e com sessões quinzenais ou mensais, as assistentes tenham percebido/recebido progressos em sua qualidade de vida e de sono/sonho. Para travar a queda/redução ou conseguir que o cabelo volte a crescer existem vários tratamentos, alguns {lesivos} com corticoides, que provocam que a vida do paciente se converta «numa nora» pelos altibaixos físicos e emocionais.

As notícias mais...