Menú

El Periódico Extremadura | Domingo, 18 de agosto de 2019

«Tenho tido que ir à saúde privada»


22/07/2019

 

Tem 36 anos e tem tido que recorrer à saúde privada e «gastar-me 6.000 euros» em dois operações de menisco porque no hospital Virgem do Porto de Plasencia não chegaram a programarle nenhuma. Mas além disso, quis contar seu caso porque esta situação lhe tem suposto que lhe despedissem de seu trabalho e «não tinha outra perspectiva laboral até que me operassem».

Este jovem de Plasencia que prefere manter o anonimato conta que, em Fevereiro de 2018, quando estava trabalhando, se lesionou os dois meniscos internos, um de cada joelho. Explica que não foi a seu médico de cabeceira até um mês depois porque inicialmente não tinha muitos incómodos. Após vários encontros com seu médico, que em Maio solicitou consulta preferente em Traumatologia, em Junho teve que ir a Urgências ao hospital Virgem do Porto. «Me fizeram uma radiografia, mas tive que pagar-me eu uma ressonância».

Não o declararam acidente de trabalho e lhe despediram e finalmente, «por uma amizade, me viu uma residente de Traumatologia e {firmé} os papéis para operar-me. Mas passava o tempo e não me chamavam, por isso {pregunté} e me disseram que os papéis estavam em meu historial, mas não me tinham posto na lista para operar».

Apresentou uma reclamação, mas lhe responderam que tinha «um importante número de pacientes pendentes de revisão», com o que optou por operar-se na saúde privada. «Tenho tido que gastar-me o dinheiro para poder/conseguir trabalhamos/trabalhámos e ter vida».

As notícias mais...