Menú

El Periódico Extremadura | Domingo, 8 de dezembro de 2019

O SES garante que a docência vai-se a manter no hospital

Quatro dos seis de Traumatologia se transferiram a dois centros regionais. Afirma que há 51 residentes e as críticas do sindicato {Simex} são «falsas»

RAQUEL RODRÍGUEZ
17/07/2019

 

En o hospital Virgem do Porto de Plasencia «se formam um número importante de residentes», até 51, segundo os dados da Conselheria de Saúde e «é falso que tenha perda de docência».

É a resposta do SES às críticas do Sindicato Médico da Extremadura ({Simex}), que na sexta-feira passada, através de um comunicado, criticou duramente o «deterioração» do Sistema Extremenho de Saúde e, sobre a situação dos Médicos Internos Residentes (MIR) em Plasencia, assinalou que a deterioração chegou a «ter que perder a docência MIR» porque, segundo seus dados, «desde o 1 de Julho, não há residentes de Traumatologia, aos que seguirão/continuarão, em breve, os de Cirurgia Geral e Medicina de Família, se não se remedeia», afirma {Simex}.

Relativamente a Traumatologia, Saúde sublinhou que o hospital «conta com a acreditação para a formação sanitária especializada em Traumatologia, ratificada recentemente pela Subdireção de Ordenação Profissional do Ministério da Saúde, Consumo e Bem-estar Social. Portanto, é falso que tenha perda de docência».

Não obstante, explica que, «diante da falta de especialistas em Traumatologia e Anestesiologia, os residentes têm solicitado uma formação complementar em técnicas cirúrgicas noutros centros hospitaleiros da comunidade autónoma».

Assim, «desde o SES se tem atendido a petição/pedido dos residentes e, por consenso, numa reunião mantida no Hospital Virgen del Puerto de Plasencia e da que foi informada a Subdireção de Ordenação Profissional do Ministério da Saúde, Consumo e Bem-estar Social, realiza-se uma mudança no itinerário formativo dos residentes nos Hospitais Universitários de Cáceres e Badajoz por um período temporal com o fim de garantir uma formação que procure a excelência e uma docência de qualidade». São quatro dos seis residentes de Traumatologia os que se distribuirão por estes dois centros hospitaleiros, dois irão a Cáceres e dois a Badajoz.

Por sua vez, segundo Saúde, o hospital conta com 21 MIR em Medicina de Família e Comunitária, mais 25 em diferentes especialidades e 1 em Psicologia, 2 em Enfermagem de Saúde Mental e 2 em Enfermagem Familiar e Comunitária. Ao todo, 51.

Na sua opinião, o transferência dos 4 de Traumatologia é «a melhor solução a uma situação temporal» e comunicados que «falam de caos, com mensagens falsas», não contribuem a «atrair facultativos nem a fixar residentes, mas bem pelo contrário».

As notícias mais...