Menú

El Periódico Extremadura | Domingo, 18 de agosto de 2019

Seguem/continuam sem pôr data à abertura de seis salas de operações

Em Julho, se têm {reincorporado} dois anestesistas e subirá a atividade cirúrgica. O SES negoceia «uma solução» que permita licitar «sua terminação»

RAQUEL RODRÍGUEZ
22/07/2019

 

La redução efetiva da lista de espera cirúrgica no hospital Virgem do Porto de Plasencia está condicionada à abertura dos 6 salas de operações prever nas obras de reforma do centro, que levam paralisadas desde o 2013. Em Janeiro, o conselheiro de Saúde, José María Vergeles, disse que a Junta estava fazendo uma revisão de ofício das obras realizadas para {recepcionarlasy} esperava que neste ano se tivesse tramitado para dotar os {quirófranos} e abrir-los. La Conselheria de Saúde assinalou que existe «um contencioso entre a empresa que iniciou a obra e o SES» e o que se está a fazer agora é negociar «uma solução definitiva ao mesmo que satisfaça a ambas partes. A partir de aí, estaremos em condições de tirar a licitação sua terminação».

Portanto, não há uma data concreta/concretiza para o que suporia duplicar os salas de operações atuais do hospital. La falta de especialistas também está afetando ao número de operações e, neste sentido, a conselheria informou de que, a primeiros deste mês de Julho, se têm {reincorporado} dois anestesistas, com o que atualmente há 9 em ativo duma plantel/quadro de 11, que «se continua a trabalhar» em completar.

Mas entretanto, assegura que as duas reincorporações permitiram «incrementar em 31 o número de jornadas cirúrgicas» entre Julho e setembro e, portanto, as operações programadas, com o que «seu efeito só/sozinho pode ser o de reduzir a lista de espera».

Afirma também que as derivações a outros centros do SES ou a centros concertados «não têm sofrido um aumento».

As notícias mais...