Menú

El Periódico Extremadura | Segunda-Feira, 25 de junho de 2018

A rotunda em obras dá fluidez ao trânsito e reduz tempos de espera

A homenagem às vítimas do terrorismo será em finais de Junho. A Câmara Municipal estuda outras mudanças para melhorar a circulação rodoviária

RAQUEL RODRÍGUEZ
29/05/2018

 

Aún não têm terminado as obras da rotunda que servirá de homenagem às vítimas do terrorismo e já melhorou a fluidez do trânsito num dos maiores/ancianidade nós de comunicações da cidade, em plena travessia da N-630 e unindo as avenidas Virgem do Porto, A {Salle}, Salamanca e Juan Carlos I. O presidente da Câmara Municipal e o vereador de Obras visitaram ontem os trabalhos e Fernando Pizarro afirmou que, só/sozinho com a metade da rotunda em serviço, tem reduzido os tempos de espera entre quatro e cinco minutos.

Porque se têm eliminado os semáforos, com o que as paragens/desempregadas/paradas dos veículos são mais curtas. Assim também, Pizarro destacou que «há menos emissões de dióxido de carbono à atmosfera e isso também o tem tido em conta Europa na hora de aprovar o projeto, que é um conjunto/clube». Cabe {recordar} que é o primeiro que se financia na cidade com fundos europeus e as melhorias que suporá para o trânsito levaram à Câmara Municipal a receber/acolher outras petições/pedidos e estudá-las.

Assim, o presidente da Câmara Municipal assinalou que receberam pedidos/solicitações para deixar de dobro sentido o troço que vai desde os Arcos de São Antón até {Sor} {Valentina} Mirone e, «o estamos considerando». Também disse que se estudará a eliminação do giro/gracioso à esquerda para aceder ao estacionamento do parque de A Coroação e sublinhou a eliminação de barreiras arquitetónicas à altura da farmácia da avenida Juan Carlos I. Na sua opinião, é possível recuperar estacionamentos que se eliminaram e, no futuro, se atenderá a procura da universidade de alargar a porta de acesso.

Com tudo, explicou que não terá uma inauguração como tal da rotunda, mas sim um ato, em finais de Junho, de homenagem às vítimas do terrorismo, que «é a primeira vez que se faz na cidade e muitas pessoas nos tinham pedido um sítio dedicado às vítimas».

Este homenagem contará com o içado da bandeira de Espanha cujo mastro já se tem colocado no centro da rotunda. Sublinhou que a bandeira é «um símbolo do nosso país, que nos une e um símbolo daquilo pelo que deram a vida as vítimas».

Perante as críticas que possa suscitar, recordou que «todos os partidos que assinaram a Constituição consideraram que essa devia ser nossa bandeira. Alguns podem pôr a desculpa do dinheiro, mas qualquer outra decoração teria multiplicado por dez seu preço». Pôs de exemplo que uma fonte custaria 150.000 euros, enquanto neste caso, o mastro, a bandeira e a cimentação não chegam a 15.000.

As notícias mais...