Menú

El Periódico Extremadura | Sábado, 17 de novembro de 2018

O Refúgio, com perto de 100 animais, encontra-se já «mais que saturado»

Necessita que se façam adoções e travem os {abandonos}

REDACCIÓN PLASENCIA
05/06/2018

 

Não tem começado o verão, uma época na qual a tristonha tradição é a de abandonar animais, e o refúgio municipal encontra-se «mais que saturado», com perto de cem animais em seus {jaulas}.

María Salud Mateos, presidenta da protetora O Refúgio, que gere a instalação municipal, era ontem clara: «Já não podemos pegar/apanhar animais, não há {jaulas} disponíveis». Além disso, há animais que levam muito tempo e são muito territoriais e não deixam que entrem outros animais nas {jaulas}. «Os machos não querem mais machos e as fêmeas não querem mais fêmeas, se podem matar e há brigas».

Por isso o que necessitam, primeiro, é que não se abandonem animais, para o que realizarão uma campanha em breve face ao verão com o fim de tentar consciencializar aos proprietários de animais de estimação. Em caso de que lhes avisem de {abandonos}, o que necessitarão são casas de acolhimento, que ficam temporariamente com os animais até que são adotados.

Neste sentido, por enquanto há «pouquinhas adoções» e Mateos não dúvida de que se adota mais no estrangeiro que em Espanha. O próprio Refúgio gere com assiduidade adoções a países como Holanda ou Bélgica.

Sobre/em relação a o refúgio apresentado pela Diputación de Cáceres, a protetora considera que «vai-se a notar, sempre dará um pouco/bocado de tranquilidade» porque agora os {abandonos} das regiões também chegam a Plasencia.

As notícias mais...