Menú

El Periódico Extremadura | Sexta-Feira, 14 de dezembro de 2018

O projeto do parque eólico passa o filtro ambiental

Pizarro calcula que a obra começará no primeiro semestre do próximo ano. Obtém a DIA favorável e o passo seguinte será a licença de obras

RAQUEL RODRÍGUEZ
28/12/2017

 

El projeto do parque eólico previsto na serra do {Merengue}, na zona sul da cidade, passou o filtro ambiental, com o que já tem todos os parabens da Junta. El seguinte passo, segundo destacou ontem o presidente da Câmara Municipal de Plasencia, será o pedido de licença de obras à Câmara Municipal para o qual será o primeiro parque eólico da região.

A Declaração de Impacto Ambiental favorável se publicou ontem no Diário/jornal Oficial da Extremadura e recolhe/expressa que o projeto, promovido por Gas Natural Fenosa Renovables SLU, apresenta um parque de 40 megawatts de potencia, que «persegue o objetivo de cumprir o acordo/compromisso para Espanha de produzir o 20% da energia bruta consumida a partir de fontes de energia renovável». Com um orçamento de 37,8 milhões, estará formado por 15 aerogeradores.

Fernando Pizarro destacou ontem que «o passo de hoje é muito importante para ter todas as garantias. Não queríamos que {atentara} contra o meio ambiente e terá um impacto económico muito importante e de criação de emprego durante a construção».

Segundo seus cálculos, as obras, com um prazo de execução de dois anos, começarão no primeiro semestre do próximo ano.

compromissos / A DIA recolhe/expressa todas as alegações ambientais apresentadas, de coletivos ambientalistas e particulares, e a resposta a estas e também numerosas recomendações para que cause o menor impacto em flora e fauna. Como exemplo, recomenda «planificar os trabalhos de maneira que as obras de maior impacto sobre/em relação a a fauna se executem fuera do período primaveral».

Além disso, indica que «deverá respeitar-se a vegetação autóctone de carácter arbóreo e {arbustivo} existente em zonas limítrofes às diferentes instalações e infraestruturas do projeto, afetando à menor vegetação autóctone possível».

Por sua vez, durante a fase de execução das obras, será «obrigatórios um controlo e seguimento arqueológico» e, na fase de exploração deverá elaborar-se um «estudo de ruídos com o objetivo de evitar poluição acústica e comprovar o cumprimento das medições e valores incluídos no {anejo} do estudo de ruídos apresentado».

A DIA avisa da {posiblidad} de «aparecimento de interferências com os sinais de rádio, televisão e outros sinais de comunicações, devido a {perturbaciones} eletromagnéticas produzidas pelos aerogeradores» e, neste caso, a empresa deverá tomar medidas. Precisamente, o relatório/informe assinala que, previamente à finalização das obras, a promotora deverá dar um estudo «ao objeto de descartar afeções sobre/em relação a a saúde humana» como consequência das {perturbaciones} eletromagnéticas.

Valcorchero / Por outro lado, o presidente da Câmara Municipal recordou ontem que a empresa está obrigada por lei a realizar investimentos em ambientes ambientais da cidade. Pizarro falou do monte Valcorchero e das margens do rio, embora na DIA só/sozinho se faz referência ao monte protegido. Neste sentido, indica que a empresa deverá atuar em 20 hectares e que os processos se concretizarão durante a fase de construção e antes da finalização das obras, mediante a elaboração duma memória de atuações que deverá acordar-se com a Direção Geral de Ambiente. Podem ser trabalhos de melhoria da masa {arbórea}; adequação e limpeza de charcas; retirada ou substituição de encerramentos ou sinalização.

As notícias mais...