Menú

El Periódico Extremadura | Sábado, 14 de dezembro de 2019

A obra de Velázquez volta a parar, por uma mudança de empresa

A Câmara Municipal assinala que leva sem atividade desde a semana de São Juan. La nova executará as {microvoladuras} e se retomará «nos próximos dias»

RAQUEL RODRÍGUEZ
08/07/2019

 

La obra do estacionamento da rua Velázquez de Plasencia, situada após {Sor} {Valentina} Mirone, volta a estar sem máquinas e sem trabalhadores. Segundo a Câmara Municipal, leva assim desde a semana de São Juan e, segundo a Assembleia provincial Provincial de Cáceres, que gere o projeto, o motivo é que se produziu «uma mudança de contrata da empresa que faz as {microvoladuras}», de forma que, «nos próximos dias», se retomarão as obras.

Esta informação não chegou à Câmara Municipal até ao quinta-feira porque, como manifestou seu presidente da Câmara Municipal, Fernando Pizarro, «na semana de São Juan, nos disseram que lhes tinham dado dias aos empregados», devido a que a empresa tem sua sede em Coria, onde se celebravam festas. Mas, dado que passadas as celebrações seguia/continuava sem ter atividade na obra, a Câmara Municipal recorreu a chamar aos técnicos, mas «ninguém nos pegava o telefone».

Perante isto, Pizarro recorreu a contactar com a presidenta da Assembleia provincial Provincial, {Charo} {Cordero}, e na quinta-feira recebeu a chamada do deputado de Fomento, Fernando García Nicolás, quem lhe comunicou que «os últimos restos de pedras os têm que eliminar com {microvoladuras}. Me disse que tinham tentado que o fizesse a empresa de Plasencia que faz o desmonte, mas não tem os meios adequados e têm contratado a uma empresa de Múrcia para que o faça, daí o atraso».

O problema é que não é o primeiro que sofre este projeto, que contempla 302 lugares de estacionamento distribuídas em dois plantas e uma passarela pedonal até {Sor} {Valentina} Mirone, entre outros aspetos. Entre o 25 de Março e o 21 de Maio, também esteve paragem/desempregada/parada, neste caso, para solucionar deficiências técnicas relacionadas com a segurança frente a incêndios e a impermeabilização da construção.

Isto supôs também um alargamento do orçamento de 162.597 euros para financiar os acrescentados e uma demora em relação ao prazo inicial de execução, de um ano e começou em Agosto de 2018, à que se somará agora esta nova paragem/desempregada/parada.

Com tudo e, dado que a obra se financia com fundos europeus do projeto conjunto/clube de Plasencia e os municípios do ambiente com a Diputación de Cáceres, o presidente da Câmara Municipal espera «que después do esforço em conseguir o financiamento e em dar início esta obra, não sofra mais atrasos e culmine durante neste ano para que cedo esteja ao serviço da cidade».

As notícias mais...