Menú

El Periódico Extremadura | Domingo, 17 de novembro de 2019

A obra da primeira fotovoltaica poderia começar em Junho de 2020

Por sua extensão, 42 hectares, e reduzida potencia, o trâmites é mais ágil. Com um investimento de oito milhões, contempla 58.800 módulos fotovoltaicos

RAQUEL RODRÍGUEZ plasencia@extremadura.elperiodico.com PLASENCIA
08/11/2019

 

La primeira planta fotovoltaica localizada em Plasencia poderia começar a construir-se em Junho de 2020. São os prazos que maneja a promotora, Lusitânia Renováveis e que deu a conhecer ontem o vereador de Energias Renováveis, Sergio López.

Segundo o vereador, a junta de governo aprovou o 25 de Outubro a abertura do processo da planta La Soalheiro, que estará localizada junto à N-630, antes da rotunda de {Fuentidueñas} e terá uma extensão de 42 hectares para cinco camponeses terrenos, que, com a linha de evacuação, somariam mais de 56 hectares.

O investimento prevista é de 8 milhões de euros para instalar 58.800 módulos fotovoltaicos, que não placas terrenos porque cada placa conta com diferente número de módulos. Produzirão uma potencia de 19,9 megawatts. Precisamente, o facto/feito de que a potencia seja menor de 20 megawatts e a extensão dos campos terrenos menor de 50 hectares permite uma tramitação de avaliação ambiental simplificada. Isto significa que a Câmara Municipal poderá realizar um trâmites, a nota urbanística, ao mesmo tempo que a Junta tramita sua avaliação ambiental.

Além disso, por seu potencia, a linha de evacuação poderia chegar até à subestação elétrica do polígono e não à do cemitério, o que suporia canalizá-la pelo Arroyo Nevoeiro. É o que se negoceia agora com Iberdrola.

Quanto ao resto de projetos, o segundo parque eólico e a segunda fotovoltaica de {Naturgy} necessitam uma modificação pontual do Plano Diretor Municipal. Enquanto tem terminado a exposição pública do projeto inicial, a Junta prevê remeter em breve o documento de avaliação ambiental que permitiria iniciar/dar início o trâmites de modificação do plano, que deverá passar por plenário/pleno e depois aprovarlo a Junta.

O investimento prevista no segundo eólico, com 15 aerogeradores, seria de 45,3 milhões para produzir 49,5 megawatts de potencia e a fotovoltaica contempla 77.898 módulos com 23,98 megawatts de potencia.

O último projeto eólico, de Projetos Energéticos de Plasencia, com 8,4 milhões de investimento e 5 aerogeradores previstos, está pendente de poder/conseguir utilizar/empregar as instalações de {Naturgy}.

As notícias mais...