Menú

El Periódico Extremadura | Sexta-Feira, 21 de septembro de 2018

A licitação da residência valorizará as contratações

O acordo/compromisso de contratar a desempregados/parados de longa duração suporá 20 pontos. O presidente da Câmara Municipal calcula que permitirá criar uma centena de postos de trabalho

RAQUEL RODRÍGUEZ plasencia@extremadura.elperiodico.com PLASENCIA
06/06/2018

 

Pela primeira vez e, em virtude da nova lei de contratos, a Câmara Municipal valorizará o acordo/compromisso de contratação de desempregados de longa duração na execução duma obra, a de reabilitação dos pavilhões militares para {reconvertirlos} numa residência de maiores/ancianidade. Além disso, o presidente da Câmara Municipal sublinhou ontem a geração de emprego que suporá a sua posta em marcha porque calcula que permitirá criar uns «cem postos de trabalho, diretos e indiretos, porque contará com serviços externalizados».

A Câmara Municipal conta já com o projeto e com o caderno de encargos para licitar a obra, que se aprovarão na próxima sexta-feira em plenário/pleno. Para além da oferta económica, que se valorizará com 70 pontos de um máximo de 100, o acordo/compromisso de contratação de pessoas que levem pelo menos um ano desempregadas somará 20 pontos e outros 10 o alargamento do prazo de garantia da obra.

O orçamento base será de 3,9 milhões de euros, dos que a Câmara Municipal dará 780.000. Após a aprovação pelo plenário/pleno, se publicará o folha no perfil do contratante municipal e as empresas terão 26 dias para apresentar ofertas. A Câmara Municipal calcula que os trâmites levarão tudo o verão, de forma que a obra, com um prazo de execução de 18 meses, poderia estar adjudicada em setembro.

os dados / Segundo o projeto, a nova residência terá uma superfície útil de 3.980 metros quadrados e 4.768 metros construídos, distribuídos em quatro plantas, uma mais que a atual ao converter o baixo/sob/debaixo de coberta na última. O serviço de atenção à dependência da Junta lhe deu a aprovação, o que permitirá habilitar 82 praças/vagas para pessoas dependentes e 30 para usuários de um centro de dia.

Contará com 56 quartos, um sala de jantar de 100 metros e mais de 130 para salas de terapias e atenção aos usuários. Destacará além disso a nota energética do prédio já que «o 60% do consumo de energia provirá dos 20 captadores terrenos instalados na coberta».

Quanto à futura gestão, o presidente da Câmara Municipal assinalou que, após as eleições de 2019, Câmara Municipal e Junta tratarão o tema, embora aposta porque seja regional.

O projeto permitirá também melhorias no ambiente, de forma que na parte dianteira terá um dobro acerado com pequenos muros intermédios, como o acerado de A Coroação e, nas traseiras, se renovarão os muros e terá estacionamentos em bateria. Também destaca o {ajardinamiento} e zonas verdes.

Sobre/em relação a a via projetado para separar a residência do pavilhão habitado, o vereador de Urbanismo, José Antonio Hernández, explicou ontem que no plenário/pleno de Junho ou Julho se aprovará o programa de execução e anexos que o recolhem/expressão e se poderá licitar.

As notícias mais...