Menú

El Periódico Extremadura | Sábado, 17 de novembro de 2018

A delegação do Banco Alimentar necessita voluntários para o armazém

Lhes urgem pessoas com conhecimentos e comprometidas

REDACCIÓN PLASENCIA
02/06/2018

 

A delegação local do Banco Alimentar necessita com urgência um chefe de armazém e voluntários com experiência em armazém para a tarefa de recolher e classificar os produtos que lhes chegam.

Segundo a delegada, {Lorenza} Hernández, atualmente trabalham diariamente entre dez e quinze pessoas, mas o que lhes faz falta são «dois, três ou quatro pessoas que tenham conhecimentos de armazém».

Porque não cessam em sua tarefa de recolher e repartir alimentos. Chegam a umas 3.500 pessoas, não só/sozinho de Plasencia, mas de todas as regiões do norte, do Alagón e Margens do Tejo, através de 38 entidades.

Seu objetivo é «que não lhe falte a ninguém um prato de comida/almoço quente» e assim, os próximos dias 8 e 9, participarão numa campanha nacional de recolhida nos estabelecimentos Mercadona de Plasencia, Coria e Navalmoral.

Além disso, graças a um convénio com La Caixa, recolhem/expressão leite para meninos e empresas de seguros têm também «um gaveta para recolher alimentos».

Alguns de seus voluntários destacaram o «gratificante» que é colaborar e que além disso «{engancha}. Eu ia a ir dois dias à semana e agora baixo/sob/debaixo de todos os dias. Te provoca satisfação pessoal e há um espírito de camaradagem», explica Francisco Muñoz. Mercedes Carpallo aponta com humor que «te serve de ginásio, de {relax}, e aqui não há uma estrutura hierárquica mas plana».

As notícias mais...