Menú

El Periódico Extremadura | Domingo, 20 de outubro de 2019

Constatam incumprimentos na obra dos pavilhões militares

Pizarro sublinha que {Joca} cumpria o folha e que não se perderão os fundos. «Temos de valorizar se estão justificados ou não e que tipo de sanção procede»

RAQUEL RODRÍGUEZ
09/10/2019

 

Hay incumprimentos temporários. Agora temos de valorizar se estão justificados ou não e, em virtude do nível de incumprimentos, Contratações dirá que sanção procede impor». Com estas palavras disse ontem o presidente da Câmara Municipal de Plasencia, Fernando Pizarro, o que a Câmara Municipal tem podido constatar já graças a um relatório/informe do diretor da obra dos pavilhões militares para convertê-la em residência de maiores/ancianidade.

Porque a Câmara Municipal não pode guiar-se «pelo que vemos ou nos contam os trabalhadores» na hora de abrir um procedimento administrativo a uma empresa por uma obra, mas por relatórios técnicos, já que, «se não continuamos um procedimento administrativo adequado, poderia levar-nos aos tribunais e o juiz lhe daria a razão em base a lhe lei».

Portanto, Pizarro respondeu ontem à petição/pedido do grupo municipal do PSOE de rescindir o contrato à empresa assinalando que «não é tão fácil. É muito complexo porque, em virtude da lei de contratos, o folha de adjudicação da obra estabelece cláusulas que recolhem/expressão os direitos de todos e fala de questões de peso extraordinário para poder/conseguir rescindir o contrato».

Não obstante, o presidente da Câmara Municipal afirmou que se iniciaram já quatro procedimentos por esta obra e matizou/precisou que «não se iniciaram agora. Em primavera, no livro de obras já aparecem atrasos, mas por um pontual não se elabora um relatório/informe, quando há um atraso notável, sim».

Além disso, diante da afirmação do vereador Alfredo Moreno de que não se deveu adjudicar a obra de mais envergadura dos fundos europeus da cidade a esta empresa e se deveu comprovar sua solvência, Pizarro a concluiu sublinhando que «as adjudicações realizam-se de maneira técnica, não política e é evidente que Contratações adjudicou em virtude do cumprimento do folha e o cumpria». De facto, apontou que outras administrações têm contratado obras com {Joca}, «entre elas, o Estado».

Nos processos abertas, se lhe pediram dados de contratações e pagamentos a empregados e fornecedores; que fecho a coberta dos pavilhões para que não se deteriorem se chove; se pediu uma análise de incumprimentos ao diretor de obra e um relatório/informe de se o modificado que apresentou a empresa procede ou não. Tudo com seus prazos de apresentação e alegações.

Por isso, porque se estão cumprindo os procedimentos, Pizarro assegurou que os fundos europeus não se perderão. «Quando as coisas estão justificadas, não há risco de perder-los», disse.

As notícias mais...