Menú

El Periódico Extremadura | Quinta-Feira, 18 de janeiro de 2018

A Câmara Municipal pede à Junta que orçamente obras por 14 milhões

Inclui ações em infraestruturas, emprego e co-financiar a ajuda a domicílio. Tem acordado com a {Fepave} oito emendas através do PP regional

RAQUEL RODRÍGUEZ
02/01/2018

 

El governo municipal do PP criticou as escassos investimentos previstos nos orçamentos da Junta de 2018 para Plasencia e tem acordado com a {Federacion} De Plasencia de Associações de Vizinhos/moradores uma série de projetos solicitados como emendas através do grupo parlamentar regional do PP. Trata-se de oito atuações, que somam um custo de 14 milhões de euros.

A de maior dotação económica seria a continuação do desdobramento da EX-370 para unirlo com a circunvalação sul. «Se faz imprescindível orçamentar a segunda fase, desde a rotunda dos engenheiros até a ronda sul, já que daria solução aos problemas de engarrafamento que se estabelecem na rotunda dos engenheiros ao confluir tudo o trânsito procedente da {A66} e a {A5}, como de trânsito entre o polígono industrial e o núcleo urbano».

Outra atuação seria o nova via de acesso ao hospital, valorizado em 2,3 milhões e que pedem porque facilitaria «o acesso aos pacientes que chegam desde as regiões do Ambroz, Terras de Granadilla e Hurdes principalmente, mas que além disso suporia uma melhoria geral de acesso ao hospital».

Em 2,1 milhões valorizam o novo acesso à cidade com uma ponte sobre/em relação a o parque de A Ilha e dois rotundas. Solicitam que se priorize a construção das duas rotundas, no acesso a Os {Mártires} e a avenida do Vale/cerque.

A adequação do acesso entre a variante sul e Martín Palomino, a Travessia de Trujillo, seria outro projeto porque «apresenta grandes estragos tanto/golo no firme/assine da via como nos acerados e as vias auxiliares de acesso às indústrias». Está valorizado em dois milhões de euros.

Outra emenda reclama a co-financiamento do serviço de ajuda a domicílio, orçamentada em 850.000 euros e o justificam em que é uma competência regional, embora o financia quase exclusivamente a Câmara Municipal. Atende a 264 usuários com uma plantel/quadro de 59 auxiliares.

Para ações de emprego, solicitam 600.000 euros. «Como ponto de partida se faz imprescindível a posta em marcha de novo chão industrial que permita a criação de empresas».

As menos custosas seriam a execução do plano diretor da muralha (230.000 euros) e a adaptação à regulamento da depuradora da piscina de verão (300.000).

As notícias mais...