Menú

El Periódico Extremadura | Sábado, 25 de janeiro de 2020

A Câmara Municipal deve ter pronto/inteligente/esperto em Fevereiro um novo plano de ajuste

Por valor de 2,7 milhões, Finanças sublinha que não subirão os impostos. Destinará meio milhão a um possível pagamento de interesses das hortas

RAQUEL RODRÍGUEZ plasencia@extremadura.elperiodico.com PLASENCIA
27/11/2019

 

El Ayuntamiento de Plasencia deberá tener aprobado a principios de febrero un nuevo plan de ajuste económico y financiero por valor de 2,7 millones de euros. É a quantidade/quantia na qual a câmara municipal incumpriu, no exercício de 2018, a regra da despesa, um parâmetro da Lei de Estabilidade Orçamental. El vereador de Finanças, José Antonio Hernández, se apressou a matizar/precisar ontem que está a trabalhar para «que não tenhamos que reduzir despesas nem subir tributos».

Porque a conta geral de 2018 dá um {remantente} de tesouraria de 5,4 milhões e, com os ajustes obrigados, fica em 1,6 milhões. Parte deste remanescente, 933.237,94 euros, deve destinar-se a pagar dívida municipal, mas o resto, uns 800.000, irão a este plano de ajuste.

Relativamente aos 933.237,94 euros, anunciou que mais de meio milhão se reterão para financiar um possível pagamento antecipado de interesses das hortas de A Ilha. Concretamente, explicou que um proprietário mostrou-se disposto a uma retira de entre o 15% e o 20% de interesses e, se se chega a um acordo, com esse dinheiro a dívida ficará saldada, o que contribuirá a reduzir além disso os interesses anuais que deve pagar a Câmara Municipal, de 1,1 milhões e os interesses gerados pelos próprios interesses.

El resto do remanescente será para pagar uma nova derrama do serviço de bombeiros e amortizações antecipadas de outros empréstimos. Porque tem empréstimos por pagar por valor de 34,7 milhões, aos que se somou a dívida das hortas e desde/a partir de o 2018, 10,9 milhões pelos interesses das hortas. Assim, o 2018 fechou com uma dívida de 45,6 milhões, um 138,80%, reduzida já neste ano nuns 2,2 milhões porque se fizeram dois pagamentos de interesses, matizou/precisou o vereador.

Com tudo, a conta geral atirou no 2018 um superavit de 3,1 milhões, mas com o resto de dados sobre/em relação a a mesa, o ano terminou com uma capacidade de investimento com fundos próprios de só/sozinho 87.000 euros.

As notícias mais...