+
Accede a tu cuenta

 

O accede con tus datos de Usuario El Periódico Extremadura:

Recordarme

Puedes recuperar tu contraseña o registrarte

 
 
 

A Câmara Municipal criará neste ano cinco praças/vagas e suprimirá outras três

Serão por turno livre para a escola de cozinha, arquivo e contratações. Das atuais, se eliminarão dois de guarda e uma de pessoal de limpeza

 

Imagem de arquivo de empregados da Câmara Municipal trabalhando. - TONI GUDIEL

RAQUEL RODRÍGUEZ plasencia@extremadura.elperiodico.com PLASENCIA
28/02/2020

El Ayuntamiento de Plasencia creará este año cinco nuevas plazas dentro del organigrama municipal, das que três se tirarão por turno livre e dois serão por promoção interna. No lado contrário, suprimirá três praças/vagas.

Estas serão as principais novidades da Relação de Postos de Trabalho que o vereador de Recursos Humanos, Álvaro Astasio, levará ao próximo plenário/pleno e que deve acompanhar ao orçamento. Já se têm tratado na mesa de negociação, na qual participam grupos políticos e sindicatos e em comissão informativa. A nova {RPT} contou com o voto contra de todos os sindicatos e os grupos da oposição/concurso público.

Destes últimos, Astasio disse ontem que se têm oposto «sem nenhuma justificação» e sem realizar propostas alternativas.

A que apresenta o vereador inclui a criação duma praça/vaga de diretor da escola de cozinha, a causa de a reforma de seu já ex-diretor; uma praça/vaga de administrador do arquivo municipal, que aumentará de categoria/escalão e outra de administrativo para o departamento de contratações.

Estas se tirarão por turno livre enquanto outras duas novas serão por promoção interna. É o caso da de coordenador da brigada verde, que atualmente realiza um membro da brigada e de administrativo para o departamento de secretaria.

Relativamente às praças/vagas que se amortizam, serão uma de pessoal de limpeza, devido ao «aumento a jornada completa do pessoal» e dois de especialista de guarda «pela atualização dos postos e o vazio de funções dos mesmos».

Por outro lado, terá uma reestruturação do departamento de intervenção porque sete de seus trabalhadores, todos do serviço de rendimentos, passarão ao departamento de tesouraria em cumprimento duma legislação estatal do ano 2018.

Além disso, dos três postos de administrativo para grupos políticos, um, agora vacante, descerá de categoria/escalão a auxiliar administrativo; se criarão dois chefaturas em contratações e secretaria e aumentarão as retribuições do viceinterventor e a chefatura de negociado de pessoal.