Menú

El Periódico Extremadura | Quarta-Feira, 20 de septembro de 2017

O bispado arranjará o acesso ao campanário da catedral

O objetivo principal é proteger o património e que possa ser visitado. Também se estão restaurando de forma parcial as cobertas do templo

ALEX DE MATÍAS plasencia@extremadura.elperiodico.com PLASENCIA
03/09/2017

 

La restauração parcial das cobertas da catedral e o acesso à torre do campanário são as obras que se estão levando a cabo graças ao bispado da cidade, que o financia «com os rendimentos obtidos pelas visitas dos turistas», segundo assinalou o deão da catedral, Antonio Luis Galán.

Estas obras de adequação terão uma duração de um mês e terão um custo duns 40.000 euros, com o IVA incluído. La licença de obras foi concedida pelo Câmara Municipal na última junta de governo local. «Não podemos fazer nenhuma obra sem antes pedir autorização à Câmara Municipal e a Património. Muitas vezes se concentram as obras na catedral nos mesmos meses, mas isso é devido a que temos que fazê-lo quando não afete nem aos {cernícalos} {primilla} nem à {anidación} das cegonhas», explicou o deão.

O que se está realizando na torre do campanário é melhorar o terraço na qual encontra-se e colocar uma série de degraus, de malha de ferro, para poder/conseguir entrar no campanário sem nenhum problema. «Até agora temos limpado toda a erva que tinha no interior e melhorar sua situação, pois as sinos também estavam protegidas diante da {anidación} de aves e as pombas», comentou Galán.

O objetivo principal desta atuação no campanário não é outro que o de proteger e preservar o património e retirar a humidade que tinha «e que poderia pôr em perigo o que está debaixo de essa terraço que é a sacristia, a sala {capitular} e o arquivo de música». Mas, para um futuro, certamente seja possível poder/conseguir visitar este espaço. «O que me conhece sabe que minha teoria é que o que não se visita não se cuida», sentenciou Antonio Luis Galán.

As obras vão todas dentro de os fundos da catedral, que se conseguem com o pagamento das entradas dos turistas. «Além disso, estamos levando a manutenção deste templo, algo que não se fazia desde fazia muito tempo», disse o deão.

Do mesmo modo, outra das atuações que se estão levando a cabo neste espaço é a adequação do altar da Asunción «que tinha uma grande humidade provocada pela obstrução de um ninho de cegonha na abóbada e que não deixava passar a água pelas limas». Para isso, se levantou o chão da terraço superior, se tem impermeabilizado e se têm colocado outras limas «tudo para proteger o património e que as águas dos telhados sejam recolhidas da melhor maneira possível sem afetar a nada», {djo} Antonio Luis Galán.

As notícias mais...