Menú

El Periódico Extremadura | Quarta-Feira, 19 de septembro de 2018

O autocarro urbano tem conseguido em quatro ano 42.226 usuários mais

A maioria usa o nota/bilhete simples, mas há um 46,45% que utiliza os passes. A câmara municipal trabalha na {informatización} e geolocalização

RAQUEL RODRÍGUEZ plasencia@extremadura.elperiodico.com PLASENCIA
08/01/2018

 

El número de pessoas que utilizam o autocarro urbano é cada vez maior em Plasencia. Nos últimos quatro anos, o aumento foi de 42.226 pessoas e, só/sozinho no passado ano, teve 15.482 viajantes mais. Assim, o 2017 terminou com 618.826 usuários, face aos 603.344 do ano 2016.

Por isso, com os dados da Cooperativa Os Arcos, que gere o serviço, o vereador de Serviços Municipais, Luis Miguel Pérez Escanilla, mostra-se satisfeito. «Há uma tendência {alcista} de usuários e isto acontece porque a cooperativa se esforça, se o toma a sério e põe muito de seu parte para que o serviço funcione, apesar de que seus recursos são limitados e de que o contrato de concessão é estrito».

Assim, no passado ano, a cooperativa obteve uma arrecadação de 472.407,69 euros, face aos 416.393,30 do ano anterior, e o vereador o {atribuje}, por um lado precisamente ao aumento de usuários e, por outro, à descida do preço do {gasóil}.

Pelo contrário, as despesas do serviço foram de 181.377,32 euros. Escanilla o atribui a que a frota de autocarros, oito dos que seis estão em funcionamento e dois permanecem em reserva, «estão muito usados e têm bastantes avarias que temos de reparar». Assim, assinala que no passado ano se avariaram três e que em reparar cinco se têm gastado 114.658 euros ao longo/comprido de toda a concessão.

Quanto ao número de usuários por {linea}, destaca que a mais rentável economicamente é a 1, que utilizaram no passado ano 338.171 usuários. Entre as linhas 2 e 3 não chegam a essa cifra. A 2 a utilizaram 156.440 usuários e a 3, 124.215, com o que esta é a mais deficitária, ao mesmo tempo que a mais longa, porque vai desde o PIR de Los Monges até ao hospital.

El vereador não dúvida de que a implantação dos passes tem elevado o número de viajantes. De facto, um 46,45% os utilizam já, o que significa que são usuários habituais. Enquanto, um 53,55% se subiram no passado ano ao autocarro com um nota/bilhete simples.

El passe mais utilizado é o social, com um 30,42% de usuários, seguido/continuado do passe de dez viagens, com um 29,13%; o passe sem limite de viagens, com um 23,64% e o passe jovem, com um 16,81%.

Durante no passado ano, a Câmara Municipal instalou numerosos abrigos e neste ano porá outras 15 novas. Mas além disso, trabalha para, com ajuda de fundos europeus, dar início a {informatización} e geolocalização dos autocarros, o que permitirá que o usuário conheça em tempo real onde está o autocarro e quanto tempo tardará em chegar a a paragem/desempregada/parada.

As notícias mais...