Menú

El Periódico Extremadura | Quinta-Feira, 2 de abril de 2020

O vírus e o pânico

Jaime Fomperosa
11/03/2020

 

O sensato é que quando um vírus infecioso começa a propagar-se por diversas nações, se tomem as medidas pertinentes para seu tratamento e evitar na medida do possível que se propague, mas o deste vírus produziu uma alarma mundial totalmente demencial. Um exemplo para iluminar o que digo; em Cantabria, uma região de pouco/bocado mais de 500.000 habitantes, por causa de a gripe que todos os anos nos afeta, se produziram neste ano 14 defunções. Em proporção à propaganda de alarma que se produziu, com milhões de pessoas encerradas, ¿quantos milhares e milhares de mortos teriam que ter acontecido? Entendo que esta alarma que têm propagado as turmas dirigentes, evidencia que por muitos avanços que experimente a ciência, se produzem desgraças que a pessoa humana não pode remediar, e eles, que na sua maioria têm renunciado a Deus, vêem agora perplexos sua incapacidade de remediar os {males} que afligem à sociedade. Bom momento para refletir e ver que este caminho sem Deus não faz sentido, é irracional e não pode conduzir a bom fim.

BADAJOZ

Contentores queimados

Antonio Paredes Aparicio

Badajoz

{He} leído en la {Crónica} de Badajoz lo de los ocho contenedores quemados y no me extraña nada, porque de vez em quando acontece assim: beata que atiram, {picón} que idem dos braseiras, fogo que metem. Em fim, para que seguir/continuar, mas isto é devido ao presidente da Câmara Municipal Celdrán, que retirou os contentores que tinha antes que eram de metal e pôs os atuais de plástico. Os de antes, ao ser de metal, não se podiam queimar e não somente isto, mas ao ser de metal em verão se {recalentaban} tanto/golo que matavam os micróbios que tivesse dentro, o que era também uma vantagem e estavam sempre desinfetados. Que «talento» temos tido em Badajoz. Isto é uma das muitas coisas que fizeram, os presidentes da câmara municipal me {refiero}.

GUADALUPE

O moinho do tanque

Jesús Esteban Rodríguez

Cáceres

Sabido es que Felipe II giró varias visitas al {Real} {Monasterio} de Guadalupe, de cuja Virgem era muito devoto. Na visita que fez a este santo lugar em Janeiro e Fevereiro de 1570 esteve na casa do {guadalupense} Gregorio López, comentador das Verbas/partidas de Alfonso X o Sábio e também visitou o célebre Moinho do Tanque de Guadalupe, no qual, in situ, fez este monarca a comprovação, com um relógio de areia, da {molienda} deste moinho, que era o mais rápido de Espanha. E não é de estranhar, porque nossa querida/cara {Puebla} e Villa de Guadalupe, em 1570 estava em todo o seu apogeu, embora o não menos célebre Mosteiro de o {Escorial} lhe retirou um pouco/bocado de protagonismo nos seguintes séculos. Eu, com minha contribuição histórica, tenho que dizer: que num documento conservado por minha família, consta que em Novembro de 1570 em Guadalupe vivia Alonso, que era Professor de {Engenio}, isto é, inventor, e que provavelmente foi o inventor do engenho de mencionado moinho, que está na lista dos monumentos que, por seu estado de conservação está por resgatar e pô-lo em valor pela importância que o mesmo tem.

BANCA

Comissões abusivas

Mercedes Muñoz

Cáceres

Los bancos estão anunciando subidas abusivas das comissões para os clientes que não têm a seu critério a suficiente vinculação com a própria entidade, {léase} ter domiciliado a ordenado ou pensão mais uns quantos recibos. Há muitas pessoas que não têm domiciliado a ordenado porque neste momento estão desempregadas e agora verão como as comissões sofrem um aumento desmesurado, o qual acredito/acho que é um abuso, já que bastante tristíssimo e desafortunado é não ter emprego como para em cima ter que pagar mais pela guarda e custodia dos pequenas poupanças que possam ter. Espero que as autoridades pertinentes tomem nota deste agravo e impeçam às entidades bancárias cometer este abuso e ato de discriminação.

As notícias mais...