+
Accede a tu cuenta

 

O accede con tus datos de Usuario El Periódico Extremadura:

Recordarme

Puedes recuperar tu contraseña o registrarte

 
 
 

O valor do diálogo e do respeito

 

José Ramón Talero
24/01/2020

É muito importante ler, formar-se e, principalmente, respeitar a todos. A hipocrisia, a prepotência e a imposição arruínam a convivência originando ódios e guerras. ¿Porque é que não se facilita aos cidadãos enriquecer-se intelectualmente para conseguir ser mais livres e assim poder/conseguir diferenciar o que é melhor para todos numa convivência em comum? Em todos os âmbitos onde {anduve}, {evité} e {contuve} a imposição, a intransigência, a submissão e a falta de coerência e liberdade. {Enseñé} a meus milhares de alunos o {grandísimo} valor que tem o diálogo e o respeito a todas as ideias e crenças; desta forma, sempre se chegará a uma convivência em paz. O psicólogo e escritor americano {Wayne} {Dyer} (1940-2015) dizia: «Quando {cambiamos} a maneira em que {miramos} as coisas, as coisas que {miramos} mudam». A {tergiversación}, os interesses espúrios... Há muitos personagens que pensam em seu poder/conseguir e glória e quebram o sentido da democracia para conduzi-la numa {partitocracia} ou ditadura falsificada. Estamos numa sociedade onde trata-se ao ser humano como um simples objeto de consumo e se lhe ensambla em necessidades ajustadas sempre a um poder/conseguir que suscita ao indivíduo vínculos e angústias. ¿Não é possível, pelo bem das futuras gerações, controlar de forma inteligente e justa o necessário para poder/conseguir mudar esta sociedade onde o mais importante é o ter e o consumir?

SACRIFÍCIO DE CÃES

Ouvir o coração

{Albena} {Branimirova}

{Adiestradora} canina

Em referência à proposta de Vox Zaragoza e de seu porta-voz municipal, veterinário de profissão, que disse que os cães doentes e com problemas de conduta deveriam ser sacrifícados por supor um custo elevado para a sociedade, quero dizer-lhe que em {Bulgaria}, meu país, o sacrifício nos canis é zero.

Meu cão não tinha raça, era velho e estava muito doente; tinha problemas de conduta devido ao stress por estar na protetora, apesar de que estava muito bem cuidado. Meu {perrito} levava nove anos no refúgio, mas esses nove anos não supunham nenhum custo. Meu cão, senhor veterinário, só/sozinho queria viver e que alguém {confiara} nele. Que alguém visse para além de sua idade, suas doenças e seu comportamento para que ele pudesse mostrar o bom e fiel que era. Isto é o que necessitam todos estes cães que você quer matar, comparando-os com o lixo. Meu cão era minha vida e valia muito mais do que você, com sua perceção dos valores humanos, pode imaginar-se.

Tinha um tumor cerebral que lhe provocou um surto uns dias antes de cumprir seus 15 anos. Já não podia mais. Antes de dizer-lhe adeus quis ouvir seu coração. Um coração como nenhum outro. Um coração de cão. O mais fiel e bondoso que existe. Um coração que o único que conhecia era querer. ¿E sabe que {escuché}? Pois {escuché}: «Obrigado/obrigada por ter confiado em mim e deixar-me querer-te».

Oxalá você algum dia possa ouvir o mesmo, porque esse dia sua vida mudará.

PENSÕES

Injusta revalorização

Joan Sada

Jubilado

La revalorización de las pensiones es injusta. Na pensão máxima, o aumento será de 23,93 euros mensais; na mínima, de 5,74. Tendo em conta que o aumento dos preços é igual para ricos e pobres, resulta totalmente injusto que numa revalorização das pensões aqueles que mais recebem, mais aumento recebam. Agora que temos um vice-presidente que vai a encarregar-se de direitos sociais, seria interessante que dedicasse algum momento de os seus trabalhos a examinar esta desigualdade na distribuição do dinheiro que o Estado dedica à revalorização das prestações por reforma.

Este dinheirão, repartido de forma igualitária entre os mais de 9,5 milhões de reformados, sim seria de justiça social. De todos modos, o mais justo tivesse sido manter para as pensões mínimas, e as de {viudedad} e orfandade, o 3% que se aplicou nos dois anos anteriores, um com Rajoy e outro com Sánchez.