Menú

El Periódico Extremadura | Sexta-Feira, 21 de septembro de 2018

Salientar o irrelevante

Alejandro Prieto
12/06/2018

 

Da mesma maneira que {considero} irrelevante e desacertado centrar o foco de atenção no atrativo físico das mulheres com responsabilidades políticas, relegando a um segundo ou terceiro plano os aspetos que realmente preocupam à cidadania (como o nível intelectual, a formação profissional ou técnica, a honestidade, o acordo/compromisso com o bem-estar geral e a sensibilidade social), também me parece fora do lugar salientar a beleza de um político como {atributo} ou característica principal, deixando a um lado as questões de peso, aquelas para as que recebeu a confiança das urnas. Nos últimos dias têm podido ouvir-se referências ao atual presidente do Governo de Espanha situando em primeiro plano sua beleza estética, algo que, com certeza, provocaria uma trovoada na opinião pública no caso de tratar-se duma mulher. Seja melhor ou pior e goste mais ou menos, parece que o marketing e a publicidade tem cada vez maior peso nas eleições políticas de um número crescente de nações.

O LEGAL E O CIVIL

Uma Espanha à deriva

Quadro Antonio Molín Ruiz

Huelva

El laicismo sube como la espuma. A partir de o estabelecido no ordenamento constitucional em matéria de liberdade religiosa, Pedro Sánchez toma o substituição governamental prescindindo de raízes religiosas: o cristianismo. Agora é suficiente prometer apoiando a mão na Constituição. Como se diz que Espanha é um Estado {aconfesional}, desaparece tudo credo. É que à recorrente ousadia subjaz a inábil contradição. Vivemos num país onde cada vez mais cidadãos rejeitam qualquer religiosidade e, no entanto, beneficiam-se de suas festas: toda a gente descansa em Natal, Páscoa, a {Inmaculada} e a Asunción de la Virgen; todos celebram a Primeira Comunhão e comem bolo em seu santo. É mais: nosso ano está determinado pelo cristianismo. Um progresso que na verdade não existe se põe de costas para a tradição e desmantela ao mais puro capricho. Países como Alemanha ou os Estados Unidos de América dão exemplo ao pôr como cabeceira a religiosidade: seus «Com a ajuda de Deus» e «Em Deus {confiamos}» são o ponto de encontro e o emblema de unidade para todos os seus cidadãos, independentemente de quais sejam suas crenças. Ser honesto e dizer a verdade implica um fundamento de vida que está acima do material, o estatutário, o legal e o civil.

IGUALDADE

{Repolitizar} o feminismo

Asunción Carandell

Barcelona

Felicito a nossas novas ministras, com a esperança de que tomem acertadas decisões em momentos tão delicados. Acredito/acho que o feminismo pode beneficiar à sociedade e me um a {Amina} Mama, da prestigiosa Universidade da Califórnia, que acredita na necessidade de {repolitizar} os movimentos feminismos para desafiar ao {statu} {quo} e debater sobre/em relação a raça, classe, geopolítica e o que significam as dinâmicas de poder/conseguir dos nossos próprios movimentos chamados feministas.

JOVENS

Geração com força

Lida Simón

Valladolid

Soy uma sim-sim, uma jovem que sim trabalha e sim estuda, e que baixo/sob/debaixo de a denominada geração perdida, faz luz na sombra. Como muitos mais, pois nossa geração cresce cada ano. Já {rondamos} os 2,27 milhões, e ainda que já nos fizemos eco entre os meios e entre a sociedade, ainda estamos longe de alcançar à geração nem-nem. Não obstante, {seguiremos} trabalhando, pois isso é o que nos carateriza: nosso esforço, nossa luta, nosso sacrifício. Como nossa fortaleza para seguir/continuar aplaca nossa vontade de abandonar. Porque é nosso sinal de identidade: a constância.

As notícias mais...