Menú

El Periódico Extremadura | Segunda-Feira, 25 de junho de 2018

Recursos {inexplotados}

CÉSAR García
02/06/2018

 

Com toda segurança o turismo é a grande empresa de Cáceres, poderíamos mesmo dizer que é a única. Também com toda segurança podemos afirmar que a Cidade Monumental é o recurso de maior envergadura e o que maior atração gera. Mas certamente não é o único e se tudo o atrativo da cidade centra-se na Parte Antiga e a ela se dedica tudo o esforço de difusão de imagem, estamos limitando as possibilidades de incrementar o tempo de duração das estadias de aqueles que nos visitam. As instituições (Câmara Municipal, Assembleia provincial, Junta de Extremadura e Administração Central) junto a entidades e empresas privadas devem coordenar esforços, tanto/golo de investimento, como de exploração, de outros recursos que oferece a cidade e seu ambiente próximo que gerariam atrativos adicionais. {Echamos} em falta a elaboração de «pacotes», por parte das agências não só/sozinho de Cáceres se não também nacionais e internacionais, nos que se contemplem circuitos diversos: uns circunscritos à capital (as grutas de Maltravieso e o Conejar; caminhada pela Ribera del Marco com explicações sobre/em relação a as hortas, antigos moinhos e indústrias de {curtiduría} em que se baseou boa parte da economia da cidade no passado; exploração do povoado mineiro de Aldea Moret e das antigas {bocaminas} de fosfatos, com um centro de interpretação da minaria e trilhos adequados entre os diferentes poços; adequação e geração de visitas atraentes/atrativas ao Acampamento romano Cáceres o Velho; visitas ao Santuário da Virgem da Montanha, ao Complexo Cultural São Francisco, aos Museus {Guayasamín}, {Helga} de {Alvear}; organização de excursões aos {Barruecos} e ao Museu {Vostell}, ao Museu do Queijo do Casar de Cáceres) e outros de tipo provincial, tendo em conta que sejam {abarcables}, bem para um dia ou dois mesmo algumas outras possibilidades que poderiam oferecer-se sem grandes esforços (Garrovillas, São Pedro de Acin, Coria, Plasencia) (Cáceres, Trujillo, Guadalupe)... sempre procurando a dormida na cidade. Cáceres, por méritos próprios, deveria ser a jóia turística da Extremadura, o centro onde se residisse o turismo da Comunidade e desde onde se projetasse ao resto dos muitos encantos da província e a região. Faria falta não muito investimento; mas sim muita vontade de que assim fosse e sobretudo muita coordenação entre todos os implicados. Não queremos pensar que isto já seria assim faz muito tempo se em lugar de Cáceres, seus recursos os oferecesse outra cidade; mas não deixa de ser uma pena que tenhamos tanto/golo que oferecer e divulgar e {sigamos} felicitando'ns porque vai-se notando um incremento de turistas na Parte Antiga e na Páscoa se enchem os hotéis. É uma lavor/trabalho paciente que se não se inicia nalgum momento, nunca vai a crescer.

*Grupo de opinião cidadã em Cáceres

As notícias mais...