+
Accede a tu cuenta

 

O accede con tus datos de Usuario El Periódico Extremadura:

Recordarme

Puedes recuperar tu contraseña o registrarte

 
 
 

Paralelos

 

SATURNINO Acosta
21/05/2020

{Yno} o digo eu, a culpa de que em Espanha o vírus tenha atacado com mais força, reside na linha reta onde se alinham Nueva York, {Teherán}, Pequim e Espanha, isto é, no paralelo. Parece ser que isso de «nem demasiado frio nem demasiado calor» influi no vírus, segundo alguma fonte oficial, embora igual que enquanto em Espanha nos {quitamos} a t-shirt, em Nueva York se ponham os {abrigos}. Naturalmente ninguém se tinha {percatado} de tal coincidência, nem a OMS, nem Fernando Simón, nem {Frank} da {Jungla}, que o paralelo 40 é o culpado de tudo ou de quase tudo, porque Grécia e Portugal também encontram-se no paralelo 40, deve ser que ali se preocupam mais por marcar traços meridianos que marcar traços paralelos.

Não é a primeira vez que a Geografia e imagino pela explicação, que os ventos ou {ventoleras}, servem de explicação para mais dum. Com anterioridade já se disse que os quatro pontos {cardinales} podiam influir, segundo {estuvieras} mais ao este que ao oeste. O problema é que também Grécia está mais ao oeste que Espanha. A coisa não fica aí, tal é a obsessão por culpar à localização geográfica do «vírus do demónio» que a esquerda culpa a direita e a direita culpa à esquerda. Mas há quem vai mais além, e diferença até por bairros, os bairros altos e os bairros marginais, os altos que usam paus do número 1 e os baixos que usam vassouras, ou era ao revés, bom, depende da cadeia ou o meio que emitisse a notícia, segundo esteja ao este ou mais ao este.

Em definitiva, meridianos e paralelos som linhas geográficas imaginárias que nos servem para orientar-nos, e como linhas imaginárias que som cada um é livre de imaginar onde está o meridiano e onde o paralelo. Se ontem justificava a livre vontade do povo/vila a mão foram ingénuos ao manifestar seu mal-estar em liberdade e democracia, e hoy o critica, ou ao revés, basta com mudar os paralelos e os pontos {cardinales} deste a oeste e vice-versa segundo lhe convenha, como é imaginária.

Tudo isto que lhe soa a brincadeira não o é infelizmente. As coisas não se fizeram bem e para não entrar em recriminações, pelo menos não tão bem como nossos vizinhos/moradores lusos que não ingénuos, por exemplo, estando ambos no paralelo 40 e separando'ns a alguns um rio, não o {Himalaya}. É lógico que muitos queiram mostrar sua zanga, igual que lícito seria para quem quisesse mostrar seu apoio, mas não procurar confrontos de rua, embora algum os defendesse faz muito pouco/bocado, isso sim é para «{lelos}» embora alguns nos tomem por isso.

O problema não está no paralelo 40, nem no este ou o oeste, a esquerda ou a direita, está no respeito às liberdades de todos a qualquer momento e lugar.

*Professor.