Menú

El Periódico Extremadura | Domingo, 17 de novembro de 2019

Oxalá {VOX} voltasse a ser só/sozinho um dicionário

LARA Garlito
08/11/2019

 

Esse foi o {tweet} que {leí} na quarta-feira enquanto tinha aberta em meu computador uma página de informação na qual Iván Espinosa de los Monteros dizia que «vinha tão rápido a Cáceres como uma feminilidade a um subsídio». Sim, essa barbaridade de tamanho supremo disse e vinho a dizer a nossa {cuidad} em plena campanha eleitoral, esse foi seu único oferecimento enquanto nos faltava ao respeito a todas aquelas pessoas que procuramos que um homem e uma mulher sejam iguais em direitos e liberdades, em obter a mesma igualdade de oportunidades, em ter unicamente uma sociedade melhor, mais próspera e mais justa, mas suponho que se calhar seu programa de governo seja exatamente o contrário e por isso obtendo o escândalo, a banalidade e a mentira converte a a sua mensagem ofensivo em seus argumentos para obter representação da província de Cáceres no Congresso dos Deputados. Algo que deveria fazer-nos perguntar que, se tão pouco/bocado lhe {importamos} as e os extremenhos que nem sequer reivindica nada, não aspira a melhorar nada ou o mesmo é que pensa que não {merecemos} nada. Só/sozinho alude a sua presença como se tal coisa nos enchesse de desenvolvimento e progresso à região. Um facto/feito que faz {recordar} que teve um tempo no qual os que pensavam como ele, faziam isso com nossa terra: abandonar-la e utilizá-la de recreio de vez em quando e com isso já estava a terra agradecida, enquanto, as e os extremenhos abandonados, desterrados. Mas esta região tem memória, sabe quem acreditou nela, quem trabalhou por ela e ainda mais importante, sabe que tem futuro e como o quer, o deixou claro nas passadas eleições nas que as e os extremenhos na Asamblea de Extremadura afirmaram com seu voto que aqui o racismo, o fascismo e o {machismo} não têm cabida; foi o maior mensagem de qualidade democrática que todas e todos os extremenhos nos demos: liberdade, pluralidade, democracia.

No domingo temos, de novo, a oportunidade de gritar com liberdade e da melhor forma possível que temos os democratas, votando, que é o que queremos para o futuro do nosso país, para dizer que não queremos mais {infamias}, medos, discursos de ódio, de corte de direitos, que não {toleramos} a aqueles que pretendem ilegalizar o que não gostam de, que não queremos vetos a aqueles que pensam diferentes, a aqueles que difamam as instituições.

No domingo votar ao Partido Socialista Operário Espanhol será continuar criando nosso país juntas e juntos, continuar pondo no centro da política à cidadania e resolver suas problemas, votar ao PSOE será acreditar/achar no desenvolvimento e a estabilidade do nosso país.

Façamos que nossas vozes e nossos votos obtenham um resultado tão enriquecedor como o é um dicionário.

*Filóloga e deputada do PSOE.

As notícias mais...