+
Accede a tu cuenta

 

O accede con tus datos de Usuario El Periódico Extremadura:

Recordarme

Puedes recuperar tu contraseña o registrarte

 
 
 

Não encontrad

 

Dolores Ramírez
16/05/2020

PANDEMIA DO {COVID}-19 Conservar a saúde mental

Inma Román

Administrativa

Se fala muito da saúde mental dos meninos e as pessoas maiores/ancianidade, as {afectaciones} psicológicas que tudo isto pode provocar... ¿Alguém pensou em que representa para pessoas que já não gozam de boa saúde mental, imersos em depressões profundas, transtornos de personalidade, pensamentos suicidas... e que levam ingressados num centro de saúde mental desde/a partir de antes do confinamento? ¿Que não podem tomar o ar porque obviamente não podem ter janelas abertas? ¿Que não podem sair a fumar porque o regulamento não o permite, com a ansiedade acrescentada que isto lhes implica? ¿Aos que não se lhes tem habilitado/tesoureiro nenhum espaço para poder/conseguir ver algum familiar? Sabendo que não é uma situação nada fácil de gerir, se calhar teria que ouvir e fazer um pouco/bocado mais de caso aos profissionais da psiquiatria que estão cada dia com os pacientes e que nestes momentos fazem de médicos e inclusivamente de familiares, e graças a seu grande profissionalismo os pacientes não pioram.

Se calhar teria que fazer um esforço em adaptar estes regulamentos estritos às necessidades duns pacientes que estão atados de pés e mãos e aos que, infelizmente, a sociedade ainda estigmatiza, {arrincona}, não ouve e menos tem em consideração. Se calhar simplesmente habilitar um mecanismo que lhes permitisse usufruir de um momento ao dia para fumar e respirar ar natural. Ou se calhar é que já está bem que estejam ali encerrados até que tudo isto vá passando.

Não nos {llenemos} a boca falando de saúde mental e as repercussões que pode ter nalguns coletivos quando ao coletivo que o sofre agora mesmo mais profundamente que nunca, o temos esquecido e encerrado porque é complicado encontrar uma solução fácil.

Não {volvamos} atrás

Manuel Gómez

Cáceres

Después de las imágenes que veo en los telediarios siento la obligación de {sentarme} delante de mi ordenador y escribir este texto. Faz dois meses que estamos confinados; sem beijar a nossa avó, sem abraçar a nossos amigos e sem usufruir do que conhecíamos como vida. Tudo o que antes da pandemia conhecíamos como quotidiano já não se pode fazer. Por outro lado, temos boas notícias, estamos superando a este vírus lentamente/pouco a pouco, mas ao mesmo tempo estamos prestes a atirá-lo tudo pela janela e voltar de novo ao início. É necessário que toda a gente se identifique como principal responsável de seus atos e que comece a atuar com serenidade. Agora mesmo, uma boa atuação cidadã combina é um êxito futuro, que, além disso, nos permitirá reforçar a imagem do nosso bonito país. Devemos respeitar o que nos ditam desde/a partir de o Governo, temos que tomar todas as medidas de segurança ao 100%, devemos voltar a tê-lo respeito a este vírus, porque, se não é assim, {volveremos} a sofrer o que levou a milhares de pessoas à outra vida.