Menú

El Periódico Extremadura | Quarta-Feira, 1 de abril de 2020

Incoerências

CARMEN Martínez- Fortún
11/03/2020

 

É fácil recomendarlo mas difícil conseguir o justo grau/curso universitário de prudência, afastado ao mesmo tempo da despreocupação e do pânico. Porque o respeito e espírito de colaboração sustentado até agora parece fender-se embora ainda não tem estourado completamente. Mal casam certas recomendações e atitudes públicas com a exigida responsabilidade ao dirigente. Não se entendem esses luvas {morados} de {Celáa} o 8 de {marzoni} também não o ato multitudinário de VOX, justo antes de que os casos se disparem em Espanha de um modo que recorda demasiado a Itália. Mas seria sangrante que os políticos nos oferecessem em cima o espetáculo fratricida duma utilização sectária da epidemia em lugar duma colaboração positiva e eficiente.

Tanta paradoxa tem à pessoas comum cheias de sentido comum numa situação de perplexidade que não ajuda nem a manter a acalma nem a ter segurança no futuro. Se fecham os estádios mas os dirigentes valencianos querem celebrar as Falhas. Em Madrid se manda aos meninos a casa mas se mantém aos {profes} nos centros com o que os {peques} ficam a cargo dos avós e esses meninos, os maiores/ancianidade transmissores,põem em perigo ao principal grupo de risco. ¿Entende você isso, querido leitor?

Faz uns dias, quando ainda reinava a tranquilidade, reclamava esta humilde impertinente uma maior/velho coordenação não só/sozinho dentro de Espanha mas no âmbito da UE. Uma está acostumada a {clamar} no deserto mas indigna que entre tanta {vídeoconferencia} e tanta testa {pensante} continuem as incoerências. Em Áustria se proíbem concentrações de mais de cem pessoas, enquanto em Espanha som de mil. Durante dias estivemos vendo entrar voos italianos sem um só/sozinho controlo nos aeroportos e ontem de um {plumazo} se cortam de raiz.

Por isso, como o medo é livre, {campa} agora a seus {anchas}. Maior/velho generosidade por parte de cada qual está muito bem, mas sobretudo exigência de um critério comum e duma informação transparente que transmita confiança nos autoridades. Isso ajudaria a evitar o pânico. ¿Será muito pedir?

*Professora.

As notícias mais...