Menú

El Periódico Extremadura | Quinta-Feira, 2 de abril de 2020

{Érase} um homem...

MERCEDES Morán
13/03/2020

 

{Érase} um homem a uma ambição batido, {érase} uma ambição superlativa, {érase} o poder/conseguir a toda costa. Se me acontece parafrasear a dom Francisco para encontrar o motivo pelo qual Sánchez pretende subir os impostos, mandando a sua ministra de Finanças, numa sorte de cobrador medieval de tributos, a conseguir mais fundos.

Encontrar o motivo pelo qual irrompe nas competências das comunidades autónomas, querendo obrigar-les a subir os impostos cedidos, o que daria como resultado que Extremadura eliminaria a bonificação do Imposto de Sucessões e Doações; harmonização fiscal a chamam, mas para ser fiéis à realidade, deveriam chamarlo pilhagem aos extremenhos.

¿Será que está obcecado com a descida de impostos dalgumas comunidades autónomas como Madrid, governadas pelo Partido Popular? Em seu campanha eleitoral, Sánchez declarou a guerra a essas vantagens fiscais, porque o modelo socialista não destaca precisamente por descida de impostos mas pelo contrário.

Justificam esse modelo em poder/conseguir atender mais serviços sociais, mais políticas públicas, mas logo se o gastam em pagar seus acordos de investidura. E o exemplo o temos perto: Sánchez tem uma dívida com Extremadura de 86 milhões de euros do IVA que temos pago, dívida que não vai a saldar, enquanto os trabalhadores das residências de anciãos do {SEPAD} reivindicam material e pessoal para poder/conseguir realizar seu estreitamente em condições e atender a nossas pessoas maiores/ancianidade como merecem. E como este exemplar, cem mais.

Seu sócio de governo, Igrejas, adverte que somente os ricos serão os que paguem a subida, mas logo muda o «documento ético» do seu partido e o que mais responsabilidade tem, ou seja ele, dará a Podemos uma percentagem menor que o resto de cargos públicos. ¡Como para fiar-se!

Por isso, com essa pretendida harmonização fiscal em alta, à que certamente o presidente da nossa região não se oporá, como sempre, os extremenhos ao receber/acolher a herança dos nossos pais, bens pelos que trabalharam e pago impostos durante toda sua vida, {volveremos} a «passar por caixa».

E o pior é que, pensando mal, pode que a intenção de Sánchez de igualar os impostos à taxa mais alta, seja porque tenha uma segunda parte; talvez um dia nos {levantemos} com a notícia de que o Governo quer uma parte desses impostos cedidos às comunidades autónomas, porque o poder/conseguir a toda costa assim o exige.

*Engenheira agrónoma e deputada do PP.

As notícias mais...