+
Accede a tu cuenta

 

O accede con tus datos de Usuario El Periódico Extremadura:

Recordarme

Puedes recuperar tu contraseña o registrarte

 
 
 

Enganar-se

 

FERNANDO Ayala Vicente
26/07/2020

Não é o único que o assinalou, mas se calhar por sua relevância, convenha citar-lhe. Dizia Joaquín Goyache, reitor da Universidade {Complutense} de Madrid, que as gerações mais jovens vão a viver pior que os seus pais, algo que não passava na recente história deste país.

É que um erro deve ser uma ponte ao aprendizagem. O estamos vendo as últimas semanas. Se produz um incremento muito substancioso dos contagiados por {Covid} 19 devido, sem lugar a dúvida, ao que poderíamos denominar, as pressas do dia depois.

Já o {comprobamos} a começos de Maio, quando após o levantamento do estado de alarma, teve uma enorme ansiedade por recuperar a vida que fazíamos antes do confinamento.

As ruas se encheram de pessoas, que num primeiro momento, tentavam ( tentávamos) sair assustados e tomando como referência a terrível experiência que tinhamos padecido.

Mas o tempo que tudo o cura, aqui fez o efeito contrário. Passado um tempo excessivamente breve, estamos comprovando que a causa principal de que estejamos atemorizados por voltar a estádios anteriores, não é uma questão sanitária, mas, a meu juízo, social.

Se estão vulnerando, uma e outra vez, as recomendações das autoridades. Se está pondo em tela de juízo a agressividade com a que nos tem atacado a doença. E se não, que cada um reflita, e faça um revisão em seu ambiente mais próximo para recapitular os processos que se saem da norma. Ou simplesmente que veja as imagens de televisão ou leia as notícias na imprensa.

Nos falam de praias sem controlo, de festas com multidões, de pessoas que vai e vem sem nenhum tipo de prevenção, de celebrações desportivas onde primam as emoções mais primárias antes que o desejo de deixar esta loucura no esqueço…

E posso ser muito reiterativo, mas a realidade é que, apesar de que semana após semana, {repitamos} o mesmo, não parece que {avancemos}.

Logo nos {quejaremos} se se chega a soluções mais drásticas. Logo não {reconoceremos} que nos temos enganado. Erros onde tropeçar. Erros que devemos assumir.

*Historiador e deputado do PSOE na Asamblea de Extremadura