Menú

El Periódico Extremadura | Domingo, 24 de junho de 2018

A por elas/vos {oeee}...

Pedro Campo
14/06/2018

 

Vá rapidez na emissora da Igreja, para pôr-se a {hurgar} na vida do novo governo, esquecendo ao anterior. A {Calviño} a encontraram um pecado grave. Não é um master oferecido, uma corrida/curso aprovada em 4 meses, uma conta em Suíça, ou um passeio de férias no {yate} de um narco amigo. Mas ¡votou com 17 anos o referendo da NATO!, e isso é terrível. Chamam sectárias às ministras de Saúde e Justiça, à apresentação do governo, espetáculo {pirotécnico} populista, e a Sánchez social-democrata giro e de design. O madrugador diz que não vão governar porque o PP ficou uma Espanha maravilhosa, sem problemas, quase idílica e herdam uma enorme bonança {Mariana}, incluídas os barragens cheias. Genial, que {lumbrera} se perdeu a humanidade, ¿por isso lhe contratou a COPE.?

Os comentadores ({tontulianos} os chama o Bigodes) debulham sua frustração. {Socialistos} pelintra, {exbaranda} sindical conservador, jornalistas com cartão e {analizadores}/ás que vão girando e repetindo mais que o {Bolero} de {Ravel}. Meus respeitos, cada um escolhe seu caminho.

A Conferência Episcopal e a Igreja, empresa privada que recebe IRPF do Estado, deveriam ter cuidado com estes mensagens odiosas, já que vivem dos impostos do povo/vila que lhes paga seus privilégios. ¿São cúmplices deste tipo de «jornalismo»? ¿Para quando o verdadeira mensagem de Jesucristo na emissora, em vez de animar a ir de romaria ao chalé de Igrejas-Montero, ou questionar a recolhida de refugiados, (efeito chamada, exibicionismo sentimental, golpe de asa? Bispos, o madrugador se vos subiu à {chepa}.

REPETIÇÃO DO EXAME

A prova de acesso ao ensino superior na Extremadura

Mariano Escobar

Villanueva de la Serena (Badajoz)

Por pura casualidade tenho seguido/continuado na televisão extremenha esse sucedâneo de debate que segue/continua ao informativo das 20.30, hoje dedicado à ‘filtração’ dalgumas provas da {EBAU}; e se já tinha, como tantos, suspeitas de {partidismo} a favor do governo no comportamento da cadeia autonómica, hoje ficaram dissipadas por completo: o Canal Extremadura é uma ferramenta ao serviço do partido político que governa nossa região, com um nível de manipulação que alcança o {escándaloso}.

Toda a tramoia estava montada para inculpar à Universidad de Extremadura; os porta-vozes dos partidos na Assembleia, a direção do programa e as jornalistas que nos ilustram com seu {nadería}, todos (e todas) deixaram passar a oportunidade de pôr dois dedos na {llaga}:

Um. O gesto do reitor e os dois demissionários foi pela responsabilidade política do acontecido e além disso, como exemplo, pois não há memória de comportamento similar noutras instituições.

E dois. Todos, absolutamente todos, por agradecimento estomacal ou por {vergonzante} ignorância, parecem desconhecer que a Comissão Organizadora da {EBAU} é paritária, está formada a partes iguais pela Universidad de Extremadura e a Junta, do que se deduz que a responsabilidade dos medidas certas e dos erros devem assumir-se, e atribuir-se em estrita justiça a partes iguais, salvo que os representantes governamental estejam ali de ouvintes ou de {figurones}, coisa que fazem artisticamente onde não podem impor ou manipular.

Certamente tudo se explica ao saber que a candidatura do atual plantel/elenco de governo da UEx não foi a que, para além de o estético, apoiou o jogo/partido socialista. Alguém devesse dizer ao porta-voz socialista que se tiras pedras sem olhar e sem saber, algumas podem cair em teu telhado e produzir-te goteiras mais sérias das que já há.

As notícias mais...