Menú

El Periódico Extremadura | Sexta-Feira, 21 de septembro de 2018

Por {desagradecido}

DANIEL Salgado
12/06/2018

 

Mau se lhe vai a pôr a Pedro Sánchez a legislatura, dure o que dure. Ou mau se a vai a pôr a parte de Podemos do jogo/partido Unidos Podemos. Basta a advertência --mais exato seria dizer a ameaça-- de Pablo Iglesias, que lhe dará «uma cortesia de dois ou três semanas» --o dos cem dias deve de parecerle uma barbaridade-- antes de conduzir-lhe ao monte Calvário, que assim o disse: «Passar por Moncloa com o Governo mais débil da democracia pode ser um calvário para Pedro Sánchez». Naturalmente, o do «Governo mais débil» não o diz Iglesias pelos 84 deputados do PSOE, embora efetivamente constituam uma fragilidade face aos deputados que somam o Partido Popular e Ciudadanos. Iglesias fala de sim mesmo, segundo costume, e se refere a um Governo onde o mais visível é a {invisibilidad} de Podemos, ou de Unidos Podemos. Um parêntesis, por certo: ¿quando vai a arranjar Alberto Garzón o que ele chama a {invisibilidad} do seu partido, {engullido} pelo jogo/partido de Iglesias?

Não seria justo que a esquerda, mais conhecida como Podemos, lhe malograsse à social-democracia, mais conhecida como Sánchez, o êxito de ter desalojado do poder/conseguir à direita, mais conhecida como Mariano Rajoy. Agora que até Bruxelas celebra o novo Governo --vale, sim, um Governo de ‘{celebrities}’, como se queira, mas Governo ao fim--, Iglesias deveria esquecer-se um pouco/bocado de sim mesmo e contemporizar com Sánchez, em lugar de recriminarle o não ter tardado «24 horas em esquecer-se de quem lhe fez presidente do Governo», ou seja, ele. Os demais partidos que apoiaram a moção de censura não se têm queixado do esqueço de Sánchez. É mais: mesmo {Iñigo} {Errejón}, que é também (de) Podemos, se tem desmarcado de Iglesias e de seu propósito de conduzir a Sánchez ao {Gólgota} e disse que «Podemos tem que ser uma força que apoie, sustente e empurre a este Governo». {Errejón} será o que seja, mas um dia será. Tempo.

No entanto, também temos de compreender a Iglesias. Não é justo que deva carregar com a cruz do {ninguneo}, crucificado sem nenhum ministério. Homem, Sánchez, que menos que um par de ministérios, ele que te tem levantado.

*Funcionário.

As notícias mais...