Menú

El Periódico Extremadura | Quarta-Feira, 19 de dezembro de 2018

David contra Golias

MARIAN Rosado
14/01/2018

 

De todas as histórias das classes de Religião e a {catequesis}, a de David e Golias era das mais inspiradoras. Entre tantos mandamentos e tanto/golo vaguear pelo deserto, essa era uma crónica épica, a do jovem e humilde pastor David, que, com tão só uma pedra, consegue vencer ao gigante Goliat e libertar a seu povo/vila.

Cedo vai-se a cumprir um mês desde que uma menina de 16 anos, {Ahed} {Tamini}, foi detida e tirada de seu casa no meio da noite para ser posta a disposição de um tribunal militar por esbofetear e dar uns pontapés a um soldado. {Tamini} procede duma família de ativistas palestinianos e é bem conhecida desde há anos por sua luta contra a ocupação israelita. Porque quando se nasce em Palestina a primeira e quase única decisão possível é a de escolher entre a resistência ou a rendição. A menor enfrenta doze cargos como agressão com agravantes, incitação à violência ou lançamento de pedras. E ela tornou-se na face visível de outros 300 meninos palestinianos detidos, onze deles em isolamento, segundo a ONG Defesa de Meninas e Meninos Internacional. ¿Se imaginam que em Espanha uma menina fora posta a disposição de um tribunal militar por uma bofetada? ¿Não é talvez Israel um Estado que também se pressupõe democrático e protetor dos direitos humanos?

Um Estado que durante décadas tem ido encurralando e expulsando a palestinianos com mais e mais {colonias}, como as que tratam de evitar a família de {Ahed}. Eles vivem na aldeia de {Nabi} {Saleh}, no {noroeste} de {Ramala}, Cisjordania, terra na qual desde 1967 se têm estabelecido mais de 200 colonatos nos que vivem hoje umas 600.000 pessoas, segundo o Centro de Informação Israelita para os Direitos Humanos nos Territórios Ocupados. Esta realidade não somente elimina a possibilidade de um Estado palestiniano com as fronteiras estabelecidas pelas Nações Unidas mas para além disso coloca aos palestinianos numa ratoeira, cercados em suas próprias casas.

Em que momento uma menina furibunda que se lança {torpemente} sobre/em relação a um soldado armado pode ser uma ameaça para um dos exércitos mais poderosos do mundo. Tão poderoso como o era Goliat, forte e arrogante. A sociedade israelita deve refletir sobre/em relação a quando deixo de ser David para converter-se no gigante. Aquele que foi derrotado por uma só pedra. * Jornalista

As notícias mais...