Menú

El Periódico Extremadura | Terça-Feira, 16 de janeiro de 2018

2018

LARA Garlito
05/01/2018

 

Este será o primeiro artigo que escreva nesta secção neste novo ano e baixo/sob/debaixo de o lugar-comum dos bons propósitos, tal como em início de curso, me sinto como se tivesse o caderno novo e tentativa que a letra saia o mais bonita possível.

A ilusão/motivação e a vontade se renovam, a sensação não é a de partir de novo mas a de começar desde uma nova paragem/desempregada/parada, continuar para evoluir.

É a atitude de enfrentar-se com valentia à nova etapa e tentar marcar o roteiro com uns objetivos claros que melhorem, adiantar-nos ao futuro para oferecer soluções.

Agora {afrontamos} novos desafios como os que mostram os dados da Comissão Europeia: em 2020 ficarão desertos mais de 750.000 empregos em áreas científico/cientista-técnicas.

Estamos acostumados a pensar na inovação em chave de invento do século XIX: à aparecimento da lâmpada ou da fotografia, sem parar-nos a refletir em que seu aparecimento ia muito mais além, se orientaram até a melhoria do bem-estar social com a iluminação pública ou que graças à fotografia apareceu o Cubismo.

{Corremos} frequentemente este erro, confundir a ferramenta com o progresso fascinados pela modernidade mas, ¿que tivesse passado se meu professor de música só/sozinho se tivesse dedicado a ensinar-me a como ouvir música em {cedé}, em como usar o {cedé}?

Pois hoje, {lamentablemente}, meus conhecimentos de música estariam onde estão os {cedés} hoje nas casas, no esqueço inútil mais absoluto.

A {robotización} ou a mudança do modelo energético suporão profundas transformações no que conhecemos até hoje, por isso devemos conhecer e ir caminhando até estes novos paradigmas para fazer desta região um lugar de futuro, competitiva.

Um futuro criado na igualdade de oportunidades, os melhores serviços públicos (educação, saúde), onde a conciliação laboral seja uma realidade e desde a inovação e o desenvolvimento.

Os projetos de vida se procuram e Extremadura necessita que as gerações que hoje se denominam as melhores formadas sintam/sentam que isto é assim, que aqui está sua oportunidade, sua vida.

Quando vemos a estratégia de economia verde e circular, a aposta em a inovação nestes orçamentos, o reforço das políticas de habitação ou o investimento na geração emprego sabemos que o Governo de Guillermo Fernández Vara está semeando em nossa terra.

Estabilidade para impulsionar e crescer, para caminhar e seguir/continuar somando.

* Filóloga e deputada do PSOE

As notícias mais...