Menú

El Periódico Extremadura | Sexta-Feira, 21 de septembro de 2018

La ‘{Gürtel}’ segue/continua perseguindo ao PP


12/06/2018

 

La sentença da primeira época da trama {Gürtel} acabou há/faz pouco mais de duas semanas com o Governo de Mariano Rajoy, mas a corrupção segue/continua perseguindo ao Partido Popular porque há ainda inumeráveis casos que estão nos tribunais. Um deles é o conhecido como caso {Gürtel} valenciano, cuja sentença acaba-se de fazer pública e confirma que o jogo/partido, esta vez na Comunidade Valenciana, se financiou de maneira ilegal e dispunha duma caixa b, como já adiantava o erro de faz 15 dias para a organização central do PP, embora a existência dessa contabilidade opaca ainda está pendente propriamente de juízo. La sentença de Valência destroça alguns dos argumentos utilizados por Rajoy no debate da moção de censura, como é que as irregularidades afetavam só/sozinho a campanhas de dois câmaras municipais madrilenos e que o PP não tinha sido condenado por financiamento ilegal.

No {Gürtel} valenciano, para além dos cabecilhas da trama, Francisco Correa, Álvaro Pérez, o Bigodes, e Pablo Crespo, são condenados os cargos do PP Ricardo Costa (exsecretário geral), Yolanda García (extesoureira), Cristina Ibáñez (exgerente) e David Serra (exdeputado), e absolvido por falta de provas o exvice-presidente Vicente Rambla, embora a sentença lhe dedica frases nada amáveis, como que teve «cegueira voluntária» perante os excessivas despesas das campanhas eleitorais de 2007 e o 2008.

Os delitos se cometiam mediante a perceção de mordidas por adjudicações de contratos e a faturação por parte da empresa da trama Orange Market a diversos empresários das despesas de atos do jogo/partido. É a primeira vez que num juízo destas características se condena a empresários, nove, que confessaram seus pagamentos ao PP em troca de deliberar-se da cadeia. Se tem deliberado de condena, por outro lado, quem todos assinalam como o máximo responsável, o nessa altura presidente Francisco Camps, que não foi arguido e declarou como testemunha, embora outro juiz do caso {Gürtel} o segue/continua investigando já que quase todos os implicados o assinalaram como o máximo responsável.

Esta sentença coincide com o início do processo de renovação do Partido Popular, que culminará no congresso fixado para o 20 e 21 de Julho. Mas nenhuma renovação será possível se o PP não faz tábua rasa com métodos de funcionamento corruptos que se remontam à fundação do jogo/partido.

As notícias mais...