Menú

El Periódico Extremadura | Segunda-Feira, 25 de septembro de 2017

Sentir a emoção da História

Jesús Cimarro Director del Festival Internacional de Teatro Clasico de Mérida
03/05/2017

 

Extremadura possui numerosos valores que a fazem única e um deles é, indiscutivelmente, o Festival Internacional de Teatro Clássico de Mérida que tenho o privilégio de dirigir desde o ano 2012. O Festival proporciona uma experiência cultural única no mundo, já que não existe outro festival que ofereça espetáculos em três teatros romanos: Mérida, Medellín e {Regina}, aos que {incorporamos} a cidade romana de Cáparra na 63 edição que arrancará o próximo 5 de julho.

O Festival de Mérida soma à cultura e ao património a experiência de sentir a emoção do teatro, de sentir a emoção da História, como reza o mote da edição de 2017, e não há maior ou melhor lembrança turística de Mérida e da Extremadura que este.

Assim, hoje a ninguém se lhe escapa que o Festival de Mérida é muito mais que um simples festival de teatro, sua dimensão social, educativa, turística e económica, o converteram num dos acontecimentos culturais mais importantes do verão em Espanha. E sua projeção nacional e sua rentabilidade dos últimos anos têm propiciado que transcenda o simplesmente teatral e cultural para converter-se num motor de turismo e economia para Mérida e toda Extremadura.

Mas não é casual que o Festival de Mérida tenha adquirido esse potencial, o conseguimos graças a uma programação que interessa a públicos muito diferentes e a um trabalho meticuloso em difusão e comunicação. Isto nos permitiu atrair até Mérida a espectadores de toda Extremadura, de toda Espanha e de outros cantos do mundo.

No passado ano o Festival contabilizou mais de 163.000 assistentes em suas atividades, só/sozinho no Teatro Romano de Mérida atraiu a mais de 92.000 espectadores. Aos que temos de somar os mais de 4.000 espectadores que tiveram os espetáculos programados em Medellín e {Regina}.

Por cada entrada que se vende do Festival, seu preço se multiplica por 5 em despesa na cidade. Ou o que é o mesmo, o espectador que se gasta 30 euros numa entrada do Festival, gera na cidade de 130 a 150 euros de despesa. É o regresso económico que tem o aplauso do público.

O Festival de Mérida ilustra desta maneira a capacidade que tem a Cultura para embandeirar o modelo turístico baseado na experiência e o conhecimento. Porque nos faz viver a emoção da cultura.

As notícias mais...