+
Accede a tu cuenta

 

O accede con tus datos de Usuario El Periódico Extremadura:

Recordarme

Puedes recuperar tu contraseña o registrarte

 
 
 

Residência Nosso Lar de Brozas: Que nossos anciãos se sintam/sentam como na sua casa

Felicidade que transfere as máscaras nas residências de Coria-Cáceres, onde não se produziu nenhum caso de {covid}-19. A previsão e a rápida atuação, chaves deste resultado positivo

 

Dia-a-dia. Os residentes participam nas atividades da Residência Nosso Lar de Brozas. - EL PERIÓDICO

Dia-a-dia. Os residentes participam nas atividades da Residência Nosso Lar de Brozas. - EL PERIÓDICO

Redacción AA MONOGRÁFICOS
03/07/2020

A Igreja diocesana, sempre atenta às necessidades dos nossos maiores/ancianidade, oferece um grande serviço caridoso e social, através das sete residências de maiores/ancianidade que tem implantadas ao longo/comprido do território diocesano.

Detrás de as residências diocesanas da Fundação Hospital São {Nicolás} de {Bari} e A {Inmaculada} em Coria, Santa Isabel em Torrejoncillo, Nossa Senhora do Rosário em Cáceres, São Rafael em Membrío, a Fundação Família {Masides} em Aldeanueva del Camino e Fundação Condessa da Azinheira-Residência Nosso Lar em Brozas, está o trabalho da Igreja Diocesana de Coria-Cáceres.

Desde/a partir de a Diocese de Coria-Cáceres estão especialmente satisfeitos pelo resultado que têm tido seus esforços por proteger e cuidar a seus maiores/ancianidade.

«Estamos muito agradecidos à entrega de todos os profissionais e a quantos se têm esforçado e cooperado para que tivessem os meios de proteção suficientes. Felizmente, em nenhuma destas sete residências se produziu nenhum caso de infeção por {covid}-19, até ao momento», assegura Francisco Manuel Delgado, treinador das Residências Diocesanas de Coria-Cáceres.

PREVISÃO E RÁPIDA ATUAÇÃO

Dias antes do Estado de Alarma, a Diocese de Coria-Cáceres criou um gabinete de crise para gerir a situação. Esta antecipação foi chave.

A comissão de residências diocesanas da Diocese de Coria-Cáceres elaborou um extensivo e detalhado protocolo de atuação, sempre em contacto com as autoridades sanitárias.

A rápida gestão dos primeiros pedidos de {EPIS} antes da declaração do Estado de Alarma e seu receção, ajudou à proteção de trabalhadores e residentes.

«Estamos preparados para o que possa acontecer no futuro, com um {aprovisionamiento} constante de {EPIS} e todos os materiais necessários para manter os estritos protocolos de segurança e prevenção implantados».

A cara de felicidade nos primeiros reencontros era evidente. Uma felicidade que transfere as máscaras e a distância. Todos (familiares, residentes e trabalhadores), mostram-se agradecidos pelo esforço e o estreitamente realizando.

Desde/a partir de as Residências da Diocese de Coria Cáceres agradecem «a paciência e compreensão das famílias e dos nossos maiores/ancianidade, bem como o estreitamente e esforço dos nossos profissionais, que cuidam com paixão e compaixão a cada um dos residentes que fazem parte da nossa família», sentença Francisco Manuel Delgado.

As residências realizam um esforço para que economicamente não suponha um entrave para as famílias. Por isso, as quantias se adaptam às necessidades e à situação pessoal de cada residente, e devido a que muitos maiores/ancianidade não podem assumir tudo o custo dos serviços, a diocese compensa essas deficiências nos casos de necessidade.

FUNDAÇÃO CONDESSA

DA AZINHEIRA-RESIDÊNCIA NOSSO LAR EM BROZAS

A Lar da Terceira idade Fundação Condessa da Azinheira-Residência Nosso Lar de Brozas, tem uma capacidade de 46 praças/vagas e na atualidade tem praças/vagas disponíveis. O nome desta residência o diz tudo: Nosso Lar.

«Nosso idealizador é fazer do nosso ambiente um ambiente cheio de calor e amor entranhável que lhes ajude a viver felizes», explica {Emilia} Pizarro, a diretora da residência.

O Instituto/liceu Secular Lar de Nazaret conta com 2 membros, {Emilia} Pizarro é uma delas juntamente com {Quintana}. {Emilia} é quem se encarrega da Direção do Centro.Dispõem de um largo pessoal de limpeza, cozinha, lavandaria e atenção integral aos maiores/ancianidade.

Quanto aos voluntários, Pizarro considera que som um potencial muito necessário. «Todos tínhamos que ser conscientes de que nossos maiores/ancianidade necessitam nosso tempo e nossa vontade de estar com eles, embora só/sozinho seja para ouvir-los», {clama} a diretora, quem agradece de forma entusiasta o tempo daqueles que se ‘desgastam’ entregando-se aos mais vulneráveis.

Para além das rotinas do dia, os maiores/ancianidade dispõem de ginástica e exercícios adaptados a suas necessidades.

{Emilia} Pizarro deseja que a situação atual melhore, para poder/conseguir organizar a tradicional Jornada de Portas Abertas que Cáritas Parroquial de Brozas organiza cada ano em Setembro, sempre com um matiz diferente. «Por exemplo, -conta {Emilia}- à tarde se organizam diferentes atividades lúdicas como a participação de grupos de danças do povo/vila”. Esse dia de Portas Abertas supõe um ambiente de proximidade e de encontro entre a Residência e o povo/vila, e os maiores/ancianidade passam um dia ‘especial’ e ‘diferente’».