Menú

El Periódico Extremadura | Terça-Feira, 26 de septembro de 2017

O Parque Cultural Serra de Gata, acordo/compromisso cidadão

Define a um território no qual confluem elementos patrimoniais e culturais. É o primeiro da Extremadura e segundo de Espanha em conseguir este reconhecimento

Redacción
03/05/2017

 

A implicação das administrações, como a da Diputación de Cáceres e da Junta de Extremadura, tem ajudado a que o Parque Cultural Serra de Gata seja já uma realidade neste ano. É uma iniciativa surgida colagem/colada ao território que “surgiu dos cidadãos, através de seu Grupo de Ação Local, seu Mancomunidad (conjunto de municípios), suas associações… mas esteve desempregado/parado porque não tinha nenhum acordo/compromisso por parte das administrações. A presidenta da Diputación de Cáceres afirma que “este Parque vem a comer-se o mundo, a mostrar uns recursos que são únicos e autênticos, desde seus recursos naturais, seu património ou sua gastronomia até seu {Fala}”, o que no seu entender redundará em o desenvolvimento da região, a atração de visitantes e o colonato da população.

O trabalho de anos por fim se vê referendado com a assinatura, em dezembro de 2016, do protocolo do Parque Cultural Serra de Gata, um protocolo que estabelece que as entidades impulsoras estão conscientes de a singularidade do bens culturais que a história tem conferido à região da Serra de Gata, da necessidade de conservar dito acervo baixo/sob/debaixo de uma estratégia comum e da conveniência de projetá-lo no futuro mediante uma planificação de desenvolvimento sustentável.

Por este motivo se levou a cabo a assinatura do protocolo com o que arranca o Parque Cultural Serra de Gata e com o que se pretende definir os processos de impulso à Serra de Gata como Parque Cultural.

As entidades signatários comprometem-se a dotá-lo duma estrutura de gestão participativa, e implicar-se na conservação de seus recursos patrimoniais históricos, {filológicos}, arquitetónicos, culturais, agrícolas, etnográficos e naturais. Para isso impulsionarão a realização de ações de conservação, intervenção cientista e educativa e desenvolvimento económico sustentável que permita ao Parque Cultural Serra de Gata projetar-se social e economicamente no futuro.

Também consideram que é a figura de Parque Cultural a mais acorde às pretensões de Serra de Gata já que define a um território no qual confluem elementos patrimoniais e culturais de alto valor, integrados num ambiente físico de relevância ecológica e paisagística singular, onde se pretende a promoção e proteção global em seu conjunto/clube.

Os espaços naturais da Serra de Gata: Os {parajes} conformados por serras e vales que conservam habitats de alto valor para a biodiversidade e os paisagens antrópicos de montanha marcados pela agricultura tradicional, a ganadaria e a exploração florestal.

A arquitetura civil e monumental: De um lado a arquitetura tradicional das habitações, as casas fortes e solarengas e a distribuição dos povos/povoações e de outro os prédios defensivos e religiosos que salpicam a serra de castelos, {almenaras}, ermidas, igrejas.

Os elementos intangíveis da cultura e o contributo às ciências e às letras: A {fala} de {Valverdi} {du} {Fresnu}, Ás Elas e {Sa} Martín de Trevellu, as festas locais e tradicionais e as manifestações populares e religiosas. As ciências e as letras na Serra de Gata. Deve considerar-se igualmente o contributo das relações transfronteiriças à cultura da Serra de Gata.

Os produtos elaborados na terra. Óleo/azeite, queijos, mel, doces, cogumelos e a gastronomia associada a estes produtos e ao cabrito são característicos da Serra de Gata. Igualmente a artesanato com os {encajes} de {bolillo}, a forja, trabalhos em couro e madeira ou a silharia.

A pegada/marca da interação da sociedade na história e com o meio físico: Marcada nos trilhos empedrados, {zahurdones}, choupanas, {tenadas}, {pajares}, fontes, pontes, {majadas}, e figuras similares, bem como pelos vestígios de culturas passadas tais como as esteiras, antas, ruínas ou inscrições.

No desenvolvimento das atuações objeto deste Protocolo, resultarão de aplicação os seguintes princípios de ação:

-O Parque Cultural se conforma com os recursos patrimoniais tangíveis e intangíveis da Serra de Gata e com a sociedade representada nas instituições que assinam o acordo/compromisso de velar por seu desenvolvimento.

-Os poderes públicos com competências atribuídas no quadro da Serra de Gata manifestam seu acordo/compromisso para conservá-lo, conhecê-lo, alargá-lo, investigarlo e transmiti-lo à sociedade, a seus visitantes e às seguintes gerações.

-A conservação do património passa por seu melhor conhecimento e compreensão. O Parque Cultural tem de estimular a investigação sobre/em relação a todos os âmbitos patrimoniais que declarou, de maneira que os novos conhecimentos {acrecienten} seu valor e se difundam em todos os canais, científicos/cientistas, educativos, sociais, turísticos ou de outros sectores económicos nos que esse valor pode ser respeitosamente aproveitado.

-O património da Serra de Gata deve ser fonte de desenvolvimento social e económico. Deve ser o instrumento que estreite os laços entre suas povoações e seus povoadores e fonte de iniciativas sociais e económicas. As organizações empresariais e demais entidades que se incorporem com posterioridade às intenções fixadas neste Protocolo deverão comprometer-se a geri-lo com pautas sustentáveis transmitindo aos seus clientes o valor que representa e implicando-os em seu usufrua, em sua conservação e em sua difusão fora de seu território.

-O património da Serra de Gata deve ser um referente no facto/feito educativo. Sua amplitude é o melhor exemplo para explicar a história da Terra e da sociedade que tem transformado o paisagem com suas práticas sociais e económicas. Sua transmissão mediante estratégias de educação formal e não formal será uma ocupação permanente do Parque Cultural.

-O Parque Cultural assume como próprios todos os princípios {emanados} de organizações que velam pela cultura e o desenvolvimento sustentável como a UNESCO e compromete-se por isso para a ação num quadro que proteja princípios como a paz, a coesão social, a igualdade de género e a posta em valor do património que permita o desenvolvimento da Serra de Gata.

As notícias mais...