Menú

El Periódico Extremadura | Terça-Feira, 21 de novembro de 2017

Não encontrad


03/05/2017

 

Mérida teve além disso um grande esplendor na época visigoda. Tudo isso deixou uma funda pegada/marca no património que tem sua máxima expressão em espaços como o teatro, o anfiteatro, a basílica de Santa {Eulalia}, o circo romano, o Aqueducto dos Milagres, o Templo de Alvo, o Pórtico do fórum, o Arco de {Trajano} ou a Casa do {Mitreo}, uma casa romana perfeitamente conservada que luz um famoso mosaico. As presas de {Cornalvo} e {Proserpina}, o aqueducto de São Lázaro, a ponte sobre/em relação a o Guadiana ou as termas de Alange são também elementos chave para compreender a importância do mundo romano em Mérida.

As cifras de número de visitantes a Mérida são muito eloquentes. Em 2017 se superaram os 827.000 turistas, o que esteve acompanhado de um aumento das dormidas de 7% em relação ao ano anterior, mesmo com incrementos pontuais de 20%, por exemplo por ocasião do festival Stone {and} Music.

FESTIVAL DE TEATRO. O Festival Internacional de Teatro Clássico de Mérida é um dos principais bastiões da oferta turística da capital autonómica. Ao longo/comprido de dois meses em verão, as noites de Mérida se enchem de teatro, música e dança da mão das principais companhias nacionais e internacionais. Mas além disso, desde Mérida quer potenciar-se outro atrativo: Emérita {Lvdica}. Trata-se de um festival que tem lugar cada ano durante o mês de junho, antes do famoso festival, e que neste ano chega a sua oitava edição recriando o mais fielmente a vida romana de antanho. São muitas as associações {recreacionistas} que há em Mérida e que cada ano surpreendem aos visitantes com seus vestidos de época e suas estampas romanas.

O viajante não deve de deixar de visitar o Museu Nacional de Arte Romana que em 2016 celebrou o trinta aniversário de sua inauguração. O diretor do museu, José María Álvarez, destaca que o “prédio que se distingue por sua flexibilidade, pela possibilidade que oferece de contemplar as peças desde diferentes pontos de vista e pela conquista da luz natural”, e tem {resaltadtambién} que a galeria “tem marcado um antes e um depois na museologia espanhola. Com o passo dos anos, tornou-se num centro de investigação que juntamente com o Consórcio da Cidade Monumental de Mérida e o Instituto/liceu de Arqueologia têm colocado à capital autonómica no epicentro da investigação mundial.

O Carnaval Romano, com um famoso concurso de Drag {Queen}, a Páscoa, a Feria do Dulce Artesano, a Feria do Chocolate ou a Rota da Tampa/petisco são outros atrativos de Mérida.

A Páscoa emeritense tem Interesse/juro Turístico Nacional, no entanto as aspirações da cidade é que alcance cedo o Internacional. Destaca o passo das confrarias por espaços como o templo de Alvo, a ponte romano ou o arco de {Trajano}. O {Via} {Crucis} do Cristo de la O é o momento mais impactante de toda a Páscoa de Mérida. No anfiteatro romano levam-se a cabo as diferentes paragens/desempregadas/paradas do Via-sacra no meio do silêncio mais absoluto e as luzes das velas.

Na última edição de {Fitur} Mérida passou a testemunha da Capitalidade Ibero-americana da Cultura Gastronómica a Bons, uma capitalidade que tem demonstrado as possibilidades gastronómicas da cidade de Mérida como coração da Extremadura.

O Real Mosteiro de Guadalupe é outro dos espaços nomeados em 1993 Património da Humanidade. Continente e conteúdo se unem numa {simbosis} espetacular no meio de um ambiente natural único. Podem sobressair quatro partes no cenóbio: o templo-basílica, o prédio do {auditorium}, o claustro mudéjar e o claustro gótico. É de estilo gótico-mudéjar e está flanqueado por oito torres, entre as que destacam a de Santa Ana e a de Baliza. O retábulo do altar-mor é de grande beleza e está realizado em madeira. O sacrário é, em origem, um secretária de Felipe II do século XVI. A cadeirado, do século XVIII, é de dois apartamentos e duma excelente traça. A sacristia está profusamente decorada. Na capela de São {Jerónimo} está uma das obras mais importantes de Zurbarán, ‘A Apoteose de São {Jerónimo}’. Além disso, alberga o museu do bordado, uma importante coleção de livros {miniados} e outra de telas de Zurbarán. Naturalmente que a Virgem de Guadalupe, patroa/padroeira da Extremadura e da Hispanidade é o epicentro da devoção que atrai a milhares de peregrinos de todo o mundo.

A Virgem de Guadalupe foi coroada Reina de la Hispanidad pelo rei Alfonso XIII em 1928 e é um dos ícones mais importantes da Extremadura, sendo o município um grande ponte/feriado entre Europa e América e símbolo de irmanamento e unidade entre os povos/povoações hispano-americanos. Em 2016 celebrou-se o Ano Jubilar {Guadalupense}, um Ano Santo que se celebra cada vez que o 6 de setembro cai em domingo. Com este motivo se editou um vídeo e material promocional. Cada 8 de setembro o mosteiro recebe perto de 20.000 peregrinos e desde a localidade se aponta a que a jornada se declarada de Interesse/juro Turístico Regional. Os caminhos de peregrinação a Guadalupe são outro dos grandes atrativos e cada ano se revitalizam e potenciam. O turismo do alma está na moda e Guadalupe é um grande exemplo de isso.

A Reserva da Biosfera e Parque Nacional de Monfragüe não deixa de acumular reconhecimentos. A princípios de ano recebeu o diploma que acredita a ‘Q de Qualidade Turística’ na categoria/escalão de Espaços Naturais Protegidos por parte do Instituto/liceu para a Qualidade Turística Espanhola ({ICTE}), uma acreditação que “destaca” o potencial deste espaço natural, e que dá “prestígio, diferenciação, fiabilidade, rigorosidade e promoção ao localização”. Os parques de Monfragüe e {Aigüestortes} ({Lérida}) são os únicos a nível nacional que contam com este diploma, que terá validade entre o 28 de novembro de 2016 até ao 27 de novembro de 2019.

Assim, a ‘Q de Qualidade Turística’ é uma certificação “única no sector turístico espanhol”, que permite ao espaço protegido contar com técnicas e ferramentas de gestão para “a melhoria contínua” da qualidade de seus serviços e a “satisfação das expectativas de seus visitantes”, segundo informa a Junta.

Recentemente e no quadro da Feria Internacional de Turismo Ornitológico (FIOU) se recolheu a certificação de Monfragüe como Destino Turístico {Starlight}, que acredita aqueles espaços que possuem uma “excelente qualidade de céu” e que representam um “exemplo de proteção e conservação”. Este reconhecimento significa uma notável melhoria na qualidade e toda uma garantia para os milhares de visitantes que podem usufruir do voo dos pássaros durante o dia e da beleza das estrelas durante a noite, e um impulso da atividade económica, cultural e turística. Monfragüe, sua riqueza ambiental, seu atrativo, seu impulso como motor cultural, turístico e económico é “tão {rabiosamente} atual que este Parque, que justo neste ano cumpre sua primeira década como Parque Nacional, será uma peça chave na estratégia de economia verde e economia circular que a Junta de Extremadura porá em breve em marcha”, segundo a conselheira de Ambiente Begoña García. Neste sentido, a conselheira sublinhou que “o montado, a riqueza ornitológica deste parque ou as estrelas que vemos durante as noites não são nada sem as pessoas, sem os homens e mulheres que habitam no ambiente”. O Parque Nacional e a Reserva da Biosfera de Monfragüe foram distinguidos como Destino Turístico {Starlight} da Extremadura, que certifica a qualidade de seu céu sem poluição {lumínica}, ideal para praticar {astroturismo} na Extremadura. A distinção abrange a {Villarreal} de São Carlos (Centro Neurálgico/nevrálgico do Parque Nacional de Monfragüe), Serradilla, Serrejón, Torrejón el Rubio, Malpartida de Plasencia, Jaraicejo, Casas de Miravete, Touril, Casas de Millán, Mirabel, Deleitosa, {Romangordo}, Higuera de {Albalat}, {Saucedilla} e Casatejada. “A escuridão do céu em toda a zona, boa climatologia e transparência atmosférica, bem como o esforço realizado pelas administrações regional, local e vizinhos/moradores por conservar essas condições”, levou à Fundação {Starlight} a conceder o título, segundo a Junta. Para constatá-lo, seus técnicos têm realizado um “longo/comprido trabalho” de estudo, uma auditoria turística e outra de qualidade do céu e “seguirão/continuarão revendo o cenário para ver se se mantém a excelência, algo fundamental para manter o título e subir um degrau mais, optando ao de Reserva {Starlight} para o qual também se prepara Monfragüe”.

A Fundação {Starlight} é uma entidade criada pelo Instituto/liceu de Astrofísica de Canárias e sua sistema de certificação está avalizado pela Unesco, Organização Mundial do Turismo e a União Astronómica Internacional. Desde 2011 tem concedido o título de Destino {Starlight} a 16 cenários de Espanha e o mundo, o primeiro de todos, curiosamente ao grande {lago} de {Alqueva} que partilham Extremadura e Portugal.

As notícias mais...