Menú

El Periódico Extremadura | Sexta-Feira, 17 de janeiro de 2020

Os mordomos são os artífices da celebração

A Confraria de Almas esta formada por cinco casais

Redacción AA MONOGRÁFICOS
29/08/2019

 

Os motivos para ser mordomo das Festas do Ramo são íntimos e habitualmente têm sua origem numa promessa. Neste ano o são -por promessa- Santiago Barrantes Tovar e María Antonia Lázaro Vaquero. Junto a eles outros deputados (cinco casais ao todo) conformam a Confraria de Almas. Para ser membro simplesmente faz falta estar casado e viver em Casar de Cáceres. A Mesa do Ramo é o acontecimento mais importante que organiza no ano, embora não o único.

María Antonia assegura que estão preparando a festa com muita ilusão/motivação. Além disso eles foram deputados faz já 27 anos e aí lhes entrou o ‘vontade’ de ser mordomos. A causa de a feliz resolução de um problema, seus filhos lhes animaram a ser mordomos. O resto de deputados compõem-no casais que coincidiam cuidando aos sobrinhos e meninos no parque.

Durante estes dias a casa de María Antonia é epicentro da atividade do Ramo, pois são muitos vizinhos/moradores os que aos poucos lhes vão levando viandas, fruta, queijos, bolos ou roscas de {alfajor}. De facto, tem estabelecido um horário para isso, de oito e média/meia a dez da noite. “O que o povo/vila nos ofereça é o que nós lhe pomos um preço e o deixámos na Mesa de Oferendas”, explica.

As {tencas} que se leiloam são dadas pelo Câmara Municipal de Casar de Cáceres e a sociedade de pescadores local. Uma pessoa contratada as fará em {escabeche}. Também terá frangos assados e muitos familiares e amigos estão a fazer bolos. O dinheiro que se arrecada vai a parar à confraria de Alma e costuma ir destinado ao cemitério ou a ermida dos Santos Mártires.

Uma das atividades que têm de realizar prévia à Mesa do ramo é ir a cortar/fechar as ramos de azinheiras que {flanquean} a mesa. Temos de pedir uma autorização especial à Junta de Extremadura. Um guarda florestal já as tem assinaladas e terá que ser cortadas no sábado 31 de Agosto irão mordomos e deputados a cortá-las. Os mordomos custodiam bidões e lonas para que o sol não dê diretamente na Mesa do Ramo, bem como umas bancas para os familiares.

Outro dos grandes momentos da Confraria de Almas é a ronda de Reis, de 1 a 6 de Janeiro. Nela a Confraria reza por todas e cada uma das casas do povo/vila, onde são acolhidos por seus familiares e amigos. Também o primeiro domingo de Maio se ocupa da distribuição da {Bolla} a meninos e maiores/ancianidade, uma vez abençoadas pelo pároco.

As notícias mais...