Menú

El Periódico Extremadura | Quinta-Feira, 2 de abril de 2020

Guia para usufruir da festa

O Mas-pau está cheio de liturgias, pequenas cenas da representação do {ajusticiamiento}

Redacción AA MONOGRÁFICOS
21/02/2020

 

Villanueva de la Vera se prepara para viver outro ano mais seu Mas-pau, uma Festa de Interesse/juro Turístico Regional sempre envolvida no mistério e que converte ao município {verato} em cenário duma bonita representação tradicional de sabor medieval, que tem perdurado pelos séculos e na qual todos os vizinhos/moradores participam.

A hospitalidade dos vizinhos/moradores e o bonito das ruas e praças/vagas de Villanueva convertem ao Mas-pau num acontecimento que não se esquecerá nunca, no qual o protagonista é um {pelele} em torno do qual celebra-se toda uma liturgia de acontecimentos os dias 22 a 25 de Fevereiro. Antes, no domingo 16, se celebrou o Dia da Cabeça, jornada de anúncio da festa no qual se tira em procissão a cabeça de madeira que ano após ano encarna ao {pelele}: a ‘{turra}’ do Mas-pau. Com seu chapéu e seu lenço é tirada pelos moços, que lutam por fazer-se com elas no meio do {retumbe} de tambores geral. Tem um olhar vazia, barba e bigodes que lhe dão um aspeto sinistro.

O momento mais mágico do Mas-pau terá lugar à meia-noite de sábado 22 de Fevereiro. Chega a hora de confecionar o boneco. É uma cerimónia à que só/sozinho podem concorrer os {peropaleros}. O trouxe de pano se preenche com palha e é cosido no meio de versos murmurados enquanto soa o tambor. O boneco está atravessado por um longo/comprido pau que em seu extremo se coloca a cabeça e por abaixo serve para pôr um {asidero}. Ao amanhecer, o Mas-pau se coloca na Agulha, na praça/vaga, enquanto se dançam jotas. No domingo 23 e na segunda-feira 24 de Fevereiro terá lugar a chamada ‘{judiá}’. O povo/vila se divide em dois bandos. Uns são os partidários de Mas-pau e outros contrários. Em determinado momento, uns avançam até outros em atitude desafiante, para depois reunir-se todos e repetir o ritual.

TOURADA DE ELEIÇÕES. Na terça-feira, dia 25 de Fevereiro, é a chamada Tourada das Eleições. Na Terça-feira de Carnaval o Mas-Pau é condenado a morte por um tribunal popular e a sentença se comunica ao povo/vila por um jóquei que chega a lombos de um burro. Se disparam salvas ao conhecer a notícia.

À tarde os vizinhos/moradores se vestem com seus fatos tradicionais e começa o passeio dos capitães. Ele levará sua bandeira e a capitã um chouriço atado a uma silva, que simboliza a {castración} de Mas-pau.

Outra liturgia desta festa é o {ofertorio} das abóboras, que tem lugar uma vez que o passeio desemboca na praça/vaga. Nele se recolhem/expressão as contribuições económicas dos vizinhos/moradores. Quando se faz a oferenda, os doadores recebem {aporreos} dos alegres {calabaceros}, que encarnam os quintos do ano.

O capitão e a capitã dão um passeio ao Mas-pau ao que segue/continua a jura de bandeira com a insígnia da festa, formando's um grande círculo de pessoas na praça/vaga Maior/velho. Ao anoitecer chega o momento final do Mas-pau, já que será atirado ao ar e queimado.

As notícias mais...