Menú

El Periódico Extremadura | Quarta-Feira, 22 de novembro de 2017

Extremadura termal

Jorge Prieto Elena Gerente del Balneario El Trampal y Vicepresidente de la Asociación de Balnearios de Extremadura
03/05/2017

 

{Sulfurosas}, {bicarbonatadas}, {oligometálicas}, radioativas, {ferruginosas}… Estes são alguns dos tipos de águas {mineromedicinales} que podemos usufruir nos {Balnearios} da Extremadura. Foi na década dos noventa quando começaram uma série de investimentos que transformaram um sector destinada à subsistência noutro referente do turismo da nossa região. Neste processo passámos de ser ‘casa de banhos’ a estações termais, de ‘tomar as águas’ a receber/acolher tratamentos hidrotermais, das ‘casas de hóspedes’ a ter variedade e qualidade de alojamentos hoteleiros. Mas a mudança mais importante foi passar de negócios familiares a empresas profissionalizadas, dotando'ns de umas ferramentas de gestão, sem a quais toda esta transformação não se poderia ter levado {acabo}.

Neste 2017, depois de/após uma dura crise económica na qual este sector se tem visto especialmente afetado, sobretudo pela supressão e os cortes dos programas de termalismo social, deixando a Extremadura com uma taxa de desemprego superior à média/meia nacional, -sendo esta particularmente elevada entre jovens e mulheres- e provocando além disso, um crescente despovoamento das zonas rurais, parece que os dados macroeconómicos dizem que o pior já passou.

Agora, nossos estabelecimentos querem dar o seu contributo para que esta recuperação se note também a nível microeconómico. Mas isto, não o podemos fazer sós. Necessitamos incrementar e melhorar a parceria público-privada, implicando de maneira muito ativa a Junta, Câmaras municipais e Assembleias provinciais. Não faz falta pedir às administrações novos recursos; basta com optimizar os existentes e executar os orçamentos já aprovados. Mas sobretudo, pedir-los uma vocação de liderança que aplique e reinvente conceitos/pontos que manejam noutras áreas como a acessibilidade, eliminando todas as barreiras que impedem que a distância máxima entre empresas e administração seja de um {clic} ou impacto, para que todas as leis e regulamentos tenham obrigatoriamente que elaborar um relatório/informe de impacto burocrático, que permita reduzir drasticamente a burocracia e entraves administrativos

Alange, o {Trampal}, {Montemayor}, o {Salugral}, São Gregorio, o {Raposo}, nossos {balnearios} dão mais de trezentas mil dormidas anuais e têm contratadas a 420 pessoas, sendo o 90 por cento delas mulheres; atraem a 15.000 {agüistas} de fuera da comunidade cada ano. Encontram-se situados em municípios de menos de 2.000 habitantes, sendo estes um dos elementos dinamismos mais importantes destas localidades. Exemplos como Baños de Montemayor ou Alange, que se tornaram em autênticas Vilas Termais ou como A {Puebla} de {Sancho} Pérez ou Carmonita, que passaram a estar posicionados como ambientes naturais termais desenvolvendo's e reinventando's em destinos turísticos e gerando novas oportunidades de negócios e progresso. Desta maneira, nos temos convertido numa das regiões que mais tem desenvolvido o turismo de saúde em Espanha, mas isto não é nem muito menos suficiente. Queremos, mas sobretudo podemos ser a referência do turismo termal no nosso país.

Na Extremadura faz já muito tempo que se deixou de vender camas e estadias para passar a vender sonhos e experiências. Esta região, desde o ponto de vista turístico, é muitas coisas: é património, Cultura, Natureza Gastronomia, Água… mas o mais importante é que pode ser o que queira e nós {apostamos} por uma Extremadura termal.

As notícias mais...