+
Accede a tu cuenta

 

O accede con tus datos de Usuario El Periódico Extremadura:

Recordarme

Puedes recuperar tu contraseña o registrarte

 
 
 

Extremadura, ponta de lança de um novo modelo energético

Iberdrola tem posto o foco de sua estratégia de investimento renovável em Espanha na região

 

Em construção. Trabalhos é a planta fotovoltaica ‘Núñez de Balboa’. - O JORNAL

Redacción AA MONOGRÁFICOS
30/10/2019

I {berdrola}, uma das companhias líderes na promoção de energia limpa no mundo, tem posto a esta região no centro de sua estratégia renovável em Espanha: na atualidade avança em seis projetos fotovoltaicos com os que, junto a Núñez de Balboa (500 MW), supera os 1.700 MW na região; o 85% da potencia renovável que a companhia previu nos seus planos de investimento na Extremadura, estabelecidos num total de 2.000 MW até 2022.

Esta aposta se enquadra no seu plano de {relanzamiento} das energias limpas em Espanha, onde a companhia investirá 8.000 milhões de euros entre 2018 e 2022 e porá em marcha 10.000 novos megawatts até 2030. Este plano permitirá a criação de emprego para 20.000 pessoas.

A fotovoltaica maior de Europa. O projeto Núñez de Balboa, que Iberdrola desenvolve desde princípios de ano nos municípios badajocenses de Usagre e Hinojosa del Valle, é até ao momento a planta fotovoltaica em construção maior de Espanha e Europa.

A magnitude desta planta fotovoltaica faz com que na construção de Núñez de Balboa bata todos os recordes: o projeto alcançou uma ponta de emprego de mais 1.200 trabalhadores, dos que o 70% deles são extremenhos e, destes, até 150 procedem dos municípios que acolhem a iniciativa. Também, a planta duma superfície próxima às 1.000 hectares tem a prática totalidade de seu estrutura fincada no terreno e perto do 70% dos 1.430.000 painéis fotovoltaicos montados.

Núñez de Balboa gerará energia limpa suficiente para abastecer as necessidades de 250.000 pessoas, cifra superior à população das cidades de Cáceres e Badajoz, e evitará, além disso, a emissão à atmosfera de 215.000 toneladas de CO2 ao ano, reforçando o acordo/compromisso de Iberdrola com a proteção do ambiente e a {mitigación} do aquecimento global.

Iberdrola investirá na planta em torno de 300 milhões de euros até a sua posta em marcha no primeiro trimestre de 2020. A iniciativa foi promovida com a colaboração de Ecoenergias do Guadiana, na modalidade de {codesarrollo} conjunto/clube, com plenário/pleno respeito ambiental e de ordenamento do território.

Iberdrola avança também noutros seis projetos fotovoltaicos na região: Francisco Pizarro (590 MW), em {Torrecillas} da Tiesa; Ceclavín (328 MW), em Alcántara; Areais (150 MW), em Cáceres; e Campo Arañuelo I, II e III (50 MW cada uma), na região de Almaraz.

Redes inteligentes,

cidades sustentáveis. A transição energética até um modelo energético mais sustentável, eficiente e competitivo requererá também duma alargamento das possibilidades de a rede de distribuição, para fazê-la mais robusta e mais inteligente e para favorecer a integração da mobilidade elétrica e as renováveis para um mix energético mais limpo e descentralizado.

Através de {i-DE}, sua companhia de distribuição, Iberdrola tem investido nos últimos anos 2.000 milhões na {digitalización} de seus contadores e a infraestrutura que os suporta e vai seguir contribuindo a que os principais municípios do país evoluam em sua transição até uma cidade inteligente ou {smart} {city}.

Para isso, {i-DE} vai seguir alargando as possibilidades de sua rede inteligente, com investimentos de 20 milhões de euros nos próximos dez anos na Extremadura, destinadas principalmente a integrar recursos energéticos chave para uma cidade inteligente, bem como a aumentar a inteligência da rede de distribuição, potenciando a {digitalización} e permitindo, assim, melhorar a qualidade de informação e serviço.

O desdobre da nossa rede elétrica inteligente permitirá incorporar a ‘traça neuronal’ da rede para oferecer um melhor serviço ao cidadão.

O trabalho de {i-DE}, em colaboração com as administrações locais e regionais, centra-se em quatro áreas estratégicas para uma cidade inteligente, desde a perspectiva da rede de distribuição elétrica, que incluem a mobilidade elétrica, as infraestruturas de redes, a eficiência no uso da energia e a sensibilização cidadã.

Promover um modelo energético mais limpo, eficiente e sustentável passa também por favorecer a integração do veículo elétrico. {i-DE} tem integrado um Centro de Controlo da Mobilidade Elétrica em seu Centro de Controlo de Distribuição ({COD}) da Zona Centro, com o que monitorizar e avaliar o impacto do veículo elétrico em sua rede de distribuição na Extremadura.

O centro proporcionará informação dinâmica sobre/em relação a pontos de recarga/recarrega: localizações segundo zonas, distribuição de consumos por províncias, curva de carga/carrega horária de pontos de recarga/recarrega e emissões de CO2 evitadas. Também, se poderá realizar seguimento da evolução de pontos de recarga/recarrega e da potencia solicitada. Num futuro próximo, para além do análise do estado dos pontos de recarga/recarrega conetados à rede, a integração de ferramentas de análises clínicas de dados permitirá elaborar previsões sobre/em relação a o impacto do veículo elétrico.

{i-DE} prevê estender seu projeto a mais de 40 municípios espanhóis, incluindo capitais de província e cidades de mais de 100.000 habitantes, nas regiões nas que opera como distribuidora.