+
Accede a tu cuenta

 

O accede con tus datos de Usuario El Periódico Extremadura:

Recordarme

Puedes recuperar tu contraseña o registrarte

 
 
 

Os espanhóis reciclam um 7,8% mais aparelhos elétricos

 

Redacción AA MONOGRÁFICOS
05/06/2020

Os espanhóis reciclaram 123.556 toneladas de resíduos de aparelhos elétricos e eletrónicos ({RAEE}) em 2019, por meio de Fundação {Ecolec}, o que supõe um 7,8 por cento mais que em 2018 e além disso durante o primeiro trimestre de 2020 se recolheram 28.647 toneladas, um 8 por mais que a previsão para este período em toda A Espanha da entidade.

Fundação {Ecolec}, um sistema coletivo de responsabilidade alargada do produtor ({SCRAP}), insiste por ocasião do Dia Mundial do Reciclagem na importância de seguir/continuar reciclando os {RAEE} “também durante a crise sanitária” do {COVID}-19 e reivindica o papel como serviço essencial que o sector realiza. Nesse sentido, o diretor-geral de Fundação {ECOLEC}, Luis Moreno Jordana, sublinhou que o fósforo de 689 televisões mal geridos poderia poluir os 55.150 metros cúbicos do tanque de O Retiro de Madrid.

INICIATIVAS. A fundação recorda que ao longo/comprido de 2019 realizou algumas iniciativas de consciencialização, como a III {Green} {Week} num total de nove comunidades autónomas e a II {Green} {League} na qual participaram 12 empresas e instituições e se recolheu mais duma tonelada de {RAEE}.

Por ocasião das circunstâncias especiais pelo coronavirus neste 2020, Moreno Jordana fez finca-pé na importância de criar consciencializa. No entanto, admite que neste ano será “muito difícil” alcançar os objetivos fixados em 2020, apesar de que a recolhida, gestão e tratamento de resíduos foi considerado “atividade essencial”, já que o fecho dos estabelecimentos de venda de eletrodomésticos e a queda/redução do consumo “vai a lastrar/estorvar” as vendas destes produtos e, por conseguinte, a geração de resíduos.