Menú

El Periódico Extremadura | Sexta-Feira, 17 de janeiro de 2020

Clima do Oeste, garantia de trabalho bem facto/feito

A empresa é serviço treinador do grupo {AMG}, especializado em aquecedores de {pellets}

J. V. AA MONOGRÁFICOS
30/10/2019

 

Com perto de duas décadas de experiência, Mario Cordero, é o profissional que está à frente de Clima do Oeste, uma empresa especializada na instalação de ar condicionado, aquecimento, frio industrial e energias renováveis. Com dois carrinhas e três trabalhadores, Clima do Oeste realiza trabalhos de instalação, reparação e manutenção por toda a comunidade autónoma.

Além disso, é serviço treinador para a província de Cáceres do Grupo {AMG}, especializado em projetar, desenvolver, produzir, distribuir e comercializar inovadores sistemas domésticos eco-{friendly} que produzem energia, mesmo térmica, para a gestão da temperatura ambiental. Especialmente conhecidas são seus aquecedores, {termoestufas}, {insertables} para chaminés, caldeiras compactas de {pellet} e policombustíveis. Mario assegura que as aquecedores de {pellets} estão tendo muita difusão em zonas rurais e destaca a qualidade dos equipas deste grupo. Quanto a ar condicionado, são os instaladores da prestigiosa marca {Hokkaido}.

Outro dos produtos que estão a começar a instalar com êxito em Clima do Oeste são as equipas de {aerotermia}, dos que destaca sua facilidade de montagem e sobretudo os poupanças que permitem. “Em dois anos os {has} amortizado e se se combina com fotovoltaica ainda é maior a poupança. Não há relação dinheiro e potencia fornecida igual. Pode também instalar-se chão radiante e refrescante, junto ao água quente. Tudo ao mesmo tempo”, assegura.

COMBINAÇÃO. Mario Cordero acrescenta que também têm muita procura os sistemas de energia solar térmica para água quente sanitária, perfeitos para imóveis no campo. “Combinado com {aerotermia} a despesa neste caso se pode reduzir até um 80 por cento”, explica e acrescenta que o mundo dos sistemas de climatização se encaminham a conseguir uma poupança no futuro do 90 por cento.

As notícias mais...