+
Accede a tu cuenta

 

O accede con tus datos de Usuario El Periódico Extremadura:

Recordarme

Puedes recuperar tu contraseña o registrarte

 
 
 

Chaves para preservar a biodiversidade em Espanha

{WWF} Espanha edita ‘A biodiversidade, em estado de emergência’

 

Demando Ibérico.Uma das espécies em situação crítica em Espanha. - EL PERIÓDICO

Redacción AA MONOGRÁFICOS
05/06/2020

Travar a desaparição dos habitats naturais, reverter a perda de espécies e reduzir a pegada/marca ecológica em consumo e produção som algumas das medidas para preservar a biodiversidade, que propõe o relatório/informe ‘A Biodiversidade, em estado de emergência’, impulsionado por {WWF} Espanha.

Rede {Natura} 2000. Elaborar planos de gestão da Rede {Natura} 2000, tanto/golo terrestre como marinha, por meio de objetivos de conservação, baixo/sob/debaixo de a coordenação com os Planos Hidrológicos de Cuenca e a definição duma “estrutura de {gobernanza} participativa”.

O 30 % do território espanhol faz parte da Rede {Natura} 2000, com mais de 1.800 espaços dedicados a sua preservação e desenvolvimento de atividades tradicionais e de turismo, entre outras.

Restauração Ecológica. Criar um Plano Nacional de Restauração Ecológica com a aplicação da Estratégia Estatal de infraestrutura verde e restauração ecológica, com um inventário das zonas prioritárias a reabilitar e o objetivo de recompor um 15 % da superfície afetada em Espanha para 2030.

Espécies ameaçadas. Recuperar as povoações ameaçadas aprovando uma declaração de “em situação crítica” para novas espécies como o demando ibérico, a {focha} {moruna} ou a {malvasía} {cabeciblanca}, mediante estratégias nacionais e de planos de recuperação regionais.

No mesmo sentido, a União Internacional para a Conservação da Natureza ({UICN}) indica que Espanha conta com o maior/velho percentagem de espécies ameaçadas e é portanto “o país mais vulnerável de Europa”, precisamente por ser o que tem maior/velho biodiversidade de tudo o continente.

{Humedales}. Atualizar a Estratégia Nacional de {Humedales} e dotar de recursos à Estratégia Nacional de Restauração de Rios com soluções baseadas na natureza, para a gestão da água.

{WWF} calcula que Espanha perdeu um 60 % de seus {humedales} no último século com a extração “insustentável” da água e a fragmentação do território por presas e com isso tem posto em perigo a espécies como a {cerceta} {pardilla} ou o trevo de quatro folhas.

Pontos pretos. Identificar os pontos pretos nas estradas espanholas e impulsionar um plano de {permeabilización} de infraestruturas.

Um exemplo visível do risco para os animais é o atropelamento de linces ibéricos, que se tornou em “a maior/velho ameaça para seu futuro” embora a maioria das mortes “se concentra nuns poucos pontos pretos em estradas”.

Energia renovável. Estabelecer critérios estritos para a localização tanto/golo no meio terrestre como no marinho das energias renováveis, com um mapa vinculativo de exclusão que “garanta que não impactem na natureza e na funcionalidade dos ecossistemas”.

Pegada/marca ecológica. Reconhecer a pegada/marca espanhola sobre/em relação a a {deforestación} dos florestas de outros países devido ao comércio de soja, óleo/azeite de {palma} e carne, para trabalhar com o sector empresarial e desenhar um quadro político apropriado que gira e reduza estes impactos na UE e fora de ela.