Menú

El Periódico Extremadura | Quinta-Feira, 2 de abril de 2020

Os Cavalos e as {Sayas} de {Picao} são os protagonistas

Durante seis dias Valverde del Fresno rende honras a seu patrão com um extensivo calendário de atividades no qual as donas de casa e os cavalheiros têm um papel muito destacado

REDACCIÓN
26/01/2020

 

Valverde del Fresno se converte estes dias no lugar perfeito para usufruir duma as tradições com mais sabor e enraizamento da província: As Festas de São Blas. Esta localidade da Serra de Gata rende honras a seu patrão durante seis intensos dias nos que as mulheres, as {amazonas} e os jóqueis têm peso específico. De facto, os verdadeiros artífices das festas são a Associação de Donas de Casa, a Associação de Amigos do Cavalo ‘A {Revolera}’, as pessoas do povo/vila e os visitantes.

Na sexta-feira, 31 de Janeiro, se faz um desfile/cortejo a cavalo e todos os jóqueis e {amazonas} levam este elemento para alumiar-se, formando um caminho de luzes que anunciam a chegada de São Blas. Tudo isto, no meio de cânticos e {vítores} ao patrão, num emotivo cortejo ao que acompanha a música de {Tamval}. A saída é às 19.30 horas desde/a partir de o Santo Cristo. Ao finalizar as {candelas} se degustarão miolos e ‘{queimada}’ nos portais da praça/vaga.

No sábado dia 1 de Fevereiro têm lugar os jogos a cavalo às onze da manhã na avenida Santos Robledo. Ali cada jóquei ou {amazona} demostrará sua habilidade sobre/em relação a o cavalo com jogo de fitas e bilhas. Às cinco da tarde terá jogos de rapidez e habilidade. Os jóqueis e {amazonas} mais habilidosos receberão prémios e menções.

A tradicional jantar de são Blas far-se-á no Restaurante típico O Idealista. Todos os participantes na festa reúnem-se e entoam cânticos e vivas ao patrão a partir das dez da noite.

No domingo dia 2 de Fevereiro ao meio-dia na Cruz dos Mortos terá danças de jotas extremenhos a cargo do grupo Ou {Fresnu} acompanhados de pulso e {púa}. O agrupamento convidada é de Moraleja. À tarde, será o momento do São Blas de los Niños, para que os mais pequenos se vão iniciando em montar a cavalo e comecem a sentir o que é correr.

AS DONAS DE CASA / Com perto de 200 integrantes a Associação de Donas de Casa de Valverde del Fresno é um dos grandes pilares nos que se apoia as festas de São Blas. De facto, foi faz mais de três década quando seu atual presidenta {Inmaculada} {Frade} recuperou este acontecimento que tinha ficado relegado após a mecanização das trabalhos do campo. «A festa estava queda/redução porque com a maquinaria já não se utilizavam animais no campo e desapareceu a festa de São Blas e fomos {nosotras} as que a fizemos ressurgir», explica.

A missão principal das donas de casa nesta celebração é a organização da missa e após ela {obsequiamos} a vizinhos/moradores e visitantes com aguardente e {perrunillas} para posteriormente celebrar um almoço de irmandade. Uma das principais curiosidades é que as mulheres neste dia vestem o trouxe de {Sayas} de {Picao}, uma das endereço de identidade da festa. O trouxe se compõe de: {enaguas}, {pololos}, médias, sapatos, saia, {mandil}, {faldiquera}, {blusa}, lenço de mil cores e jóias. Se faz bom tempo as ruas de {Valverde} se encherão de um colorido especial bem como dos bonitos cânticos que entoam.

Assim na segunda-feira dia 3 de Fevereiro terá missa e procissão a cavalo em honra ao patrão. Os jóqueis percorrerão as ruas entoando cânticos e lançando vivas a são Blas. No fim da procissão, como é tradição, as Donas de Casa de Valverde del Fresno oferecerão {perrunillas} e aguardente. Nesse momento é quando se recolhe/expressa o cordão de são Blas, retirando o do ano passado para pôr-selo ao cavalo na {cabezada} ou a {montura}. O cordão novo leva-se todo o ano, atado ao pescoço.

Na terça-feira dia 4 de Fevereiro será o São Blas Tradicional. Durante toda a jornada se ‘corre a são Blas’ a cavalo por tudo o povo/vila e leva-se a alegria a todos os seus cantos, tanto/golo de dia como à noite.

As festas finalizam na quarta-feira dia 5 de Fevereiro com o São Blas de los Taberneros. Os cânticos se voltam mais emotivos e tranquilos por parte dos devotos.

Às doze os jóqueis e {amazonas} reúnem-se a cavalo no Restaurante típico O Idealista. Ali encontram-se as simbólicas chaves de «{·cerrar} São Blas». Como é tradição, será Luis Serafana quem se encarregue de isso até Agosto, quando se ‘corre o São Blas Chico’.

As notícias mais...