+
Accede a tu cuenta

 

O accede con tus datos de Usuario El Periódico Extremadura:

Recordarme

Puedes recuperar tu contraseña o registrarte

 
 
 

A Câmara Municipal potencia a Mesa do Ramo para conseguir o Interesse/juro Turístico

Neste ano associações e empresas colaboram nalgumas atividades do programa feriado. A mesa de oferendas com produtos da zona relembra um ancestral culto ao árvore

 

Mesa do Ramo. Os {casareños} diante da mesa de oferendas das passadas Festas do Ramo. - EL PERIÓDICO

Redacción AA MONOGRÁFICOS
29/08/2019

As Festas do Ramo –que desde hoje e até ao próximo 7 de setembro se desenvolvem em Casar de Cáceres- porão o acento na Mesa do Ramo. O objetivo não é nem mais nem menos que seguir/continuar potenciando atrativos para conseguir o ansiado reconhecimento de Festa de Interesse/juro Turístico Regional. Assim o manifestou o presidente da Câmara Municipal deste município cacerenho que se prepara para viver uma semana repleta de desporto, verbenas, touros, atividades e sobretudo devoção.

No passado ano a festa foi analisada pelos técnicos da Junta de Extremadura ao objeto de ser reconhecida como de Interesse/juro Turístico. Não o conseguiu. “Já temos lido o relatório/informe que têm remetido e as questões que temos que corrigir. A principal delas era dar mais importância às atividades que estão à volta de a Mesa do Ramo. Entendemos que esta é única na Extremadura e no território nacional. Está rodeada por quatro azinheiras que relembram o montado e tudo o que tem de culto ao árvore. Por outro lado, também contém uma representação de todos os produtos típicos de Casar de Cáceres, entre eles a Torta del Casar, a {tenca} ou as roscas de {alfajor}. Essa conjunção representa à perfeição a idiossincrasia do povo/vila e faz com que a festa seja algo único”, explica Rafael Pacheco.

Tudo isso unido a seu grande atrativo, originalidade, participação, trajetória, a convertem numa candidata idealizadora para conseguir no futuro esse reconhecimento turístico tão merecido.

As Festas do Ramo são o cume de um ano de ritos religiosos e duma liturgia. Exigem a organização da Mesa do Ramo de Almas, um altar rústico de oferendas, que normalmente são dadas pelos familiares e amigos da família que detém a {mayordomía} da Confraria de Almas. Neste ano corresponde a Santiago Barrantes Tovar e María Antonia Lázaro Vaquero este honra. Entre suas principais características destaca que a mesa está rodeada de quatro {bancadas} de almas, de madeira talhada. É requisito que esteja {jalonada} por quatro ramos de azinheiras cortadas a véspera para ser pregadas no chão à semelhança de árvores. Muitos são os que vêem neste ritual reminiscências {celtas}, próximas ao culto ao árvore. Em definitiva, os mordomos da Confraria de Almas preparam uma mesa de oferendas na qual têm cabida os mais deliciosos frutos da terra, entre eles, muitos pratos realizados pelas mãos de autênticos peritos em fogões. Também há melancias, melões, Torta del Casar, queijos e galos de campo. Após a missa maior de domingo, o padre acompanha à confraria até ao lugar da mesa, para abençoá-la e posteriormente começará a venda dos produtos pelos membros da mesma, reservando alguns para seu leilão. Neste ano a Mesa do Ramo estará no número 24 da rua Sanguino.

PAELHA E VINHO. No domingo dia 1 de setembro a partir da uma a charanga Dando a nota anunciará a todos que a liturgia da Mesa do Ramo será numa hora. Terá distribuição de paelha e vinho, gratuito para todas as pessoas presentes. A paelha é doada pelo Câmara Municipal de Casar de Cáceres e o vinho o dá a Associação Vitivinícola Privilégio do Casar, em colaboração com a confraria. Além disso terá um stand turístico no qual se oferecerá informação sobre/em relação a as bondades da zona para todos os visitantes.

Para além de esse ato de devoção, a participação é uma das endereço de identidade desta festa.

Neste ano se quis redobrar o acordo/compromisso com o ambiente e a igualdade. Para eles vão a repartir entre as associações copos {reutilizables} com o mote ‘Casar de Cáceres livre de violências’ bem como sacos de lixo.

Casar de Cáceres conta com mais de 70 associações que se implicam em todos e cada um dos atos do programa feriado. Assim, amanhã sexta-feira à noite se desenvolve um espetacular flatulencia com todas elas ataviadas com seu endereço de identidade e t-shirts correspondentes. Além disso, neste ano graças ao êxito da passada edição, se repete o concurso de carroças com prémios para os melhor {engalanados}.

O presidente da Câmara Municipal Rafael Pacheco explica que neste ano se quis reforçar a participação das associações e empresas particulares através de convénios. Assim os touros os vai a dirigir neste ano a Associação de Festejos Populares ou O {Gallete} Festival se ocupará da atuação na Praça/vaga de Espanha de Sapatada e {Olé} ou do Festival Ramalhete, entre outras muitas atuações das festas. Os touros são um dos grandes atrativos das Festas do Ramo. Assim, este sábado 31 de Agosto terá um festival de farpas hispano luso com quatro novilhos de {Couto} de {Fornilhos} para os cavaleiros Paulo Jorge Santos e Mario Pérez Langa. No domingo às seis e média/meia terá um festejo de {recortadores} com uma vaca, um novilho de {Jandilla} e um novilho touro ao estilo tradicional.

No sábado 7 de setembro terá disco-contorna com solta de três {vaquillas}. Será o último grande acontecimento das festas de Casar de Cáceres.